Matheus Botelho

Mercado de São Brás recebe Batalha de MC's neste sábado


#Rap

Batalha de São Brás - Imagem: Gerson Rocha / Divulgação.


Marcado para este sábado, 20 de agosto, às 17h, a primeira Batalha de São Brás (@batalhadesaobras) deste segundo semestre de 2022 convoca Pelé do Manifesto (@peledomanifesto), um dos grandes representantes do Rap paraense, para estar junto aos MC's que se enfrentarão em um duelo onde “é preciso ser sagaz”. 4 vagas já estão preenchidas pelos MC’s Talibano (@bytalibano), Maluvida (@maluvida4i20,), Cakau (@mc.cakau) e Mão no bolso (@maonobolsomc) e ainda há mais 12 disponíveis. Para participar, o MC deve chegar cedo à praça em frente ao Mercado de São Brás, e garantir seu nome no sorteio.



A batalha acontece desde 2013 na praça Floriano Peixoto, no Complexo do Mercado de São Brás, e já faz parte da cena cultural de Belém como um dos principais movimentos urbanos da Amazônia. Sua relevância cresceu bastante desde então, e com o barulho causado dentro e fora da cena do Rap paraense, sedimentou o nome da Batalha de São Brás como a primeira batalha de MC 's fixa do estado do Pará. Hoje abriga diferentes linguagens e movimentos culturais urbanos como o skate, o break dance e o picho, e tem na força da cultura amazônica e periférica o seu principal eixo.






Atualmente, a batalha é a eliminatória paraense do “Duelo de MC's Nacional”. Organizada pela “Família de Rua” em Belo Horizonte, o duelo é referência nacional de “freestyle rap” e possui seletivas de MC‘s nos estados brasileiros. A Batalha de São Brás é responsável por esta seletiva desde 2018, e só evidencia o impacto cultural que a cena do Rap no Mercado de São Brás teve também nacionalmente.



Para Ana Paula, também conhecida como MC Cakau, advinda do município de Cametá, nordeste do estado e é uma das MCs selecionadas desta edição da batalha, o Rap é um meio para fortalecer as próprias vivências e diferentes realidades: “acredito muito que o rap é um meio de comunicação, uma ferramenta muito forte que abre portas para as periferias”. Ela complementa sobre a importância da participação das mulheres no rap: “Em Cametá não tinha mulheres que faziam rap e nem rima e quando eu venho para cá [Belém], eu já conheço um grande número de mulheres na cena, pode parecer pequeno para elas, mas pra mim é muito grande”.



Batalha de São Brás - Imagem: divulgação.



Daniel ADR (@_daniel_adr), que é rapper, produtor musical e um dos organizadores da Batalha de São Brás, destaca a importância que a batalha agora possui dentro da cena cultural da cidade de Belém: “São quase 10 anos de Batalha de São Brás e é muito gratificante cada vez mais estarmos nos profissionalizando e conseguir um giro financeiro da cadeia produtiva da cultura local, além de fomentar a economia criativa dentro do espaço”, diz.



Daniel começou a rimar ainda em 2014, em meio aos duelos em frente ao Mercado, e sua história se construiu junto a da Batalha de São Brás. Hoje é um dos nomes mais importantes da música preta e periférica de Belém, além de produtor cultural e beatmaker, e a edição da batalha no próximo dia 20 é ainda mais especial para ele: “22/08 é meu aniversário de 24 anos, e vai ser um grande presente de aniversário ter essa festa com artistas super talentosos e diversos”, e finaliza que o presente também é
estar: “Mostrando a arte e pluralidade que há dentro das periferias de Belém”.



Serviço
Batalha de São Brás
Data: 20/08 (sábado) Horário: 17h
Local: Praça Floriano Peixoto, em frente ao Mercado de São Brás.

Texto: Matheus Botelho (Na Cuia Produtora)
  • Preto Ícone Twitter
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon