Fernando Assunção

Liniker, BK e três mega aparelhagens também são confirmados no 10° Festival Psica


#Festival

Imagem: Duane Carvalho /Divulgação.

Liniker (@linikeroficial) se consolidou como um dos principais nomes da Música Popular Brasileira (MPB) atual. Unindo referências de estilos como R&B, soul e blues, em uma verdadeira ode à música preta, a cantora do interior de São Paulo preserva os atributos que a fizeram viralizar nas redes sociais em 2015, com os sucessos “Zero”, “Caeu” e “Louise du Brésil”, junto à banda Os Caramelows, com quem esteve na capital paraense por algumas ocasiões. Agora, em carreira solo, Liniker apresenta as canções do aclamado “Indigo Borboleta Anil”, lançado em setembro do ano passado, assim como os grandes hits de “Remonta” (2016) e “Goela Abaixo” (2019).



Uma das vozes mais contundentes dentro do rap nacional, Abebe Bikila, mais conhecido como BK (@bkttlapa), é um rapper carioca que carrega em suas rimas as vivências de um corpo negro dentro das grandes metrópoles. Seus versos, além de críticas sociais e conquistas, também narram um outro lado do rolê, trazendo as situações mais nuas e cruas possíveis. Em 2021, o cantor fundou o seu próprio selo, o Gigantes, por onde lançou o EP “Cidade do Pecado”. O nome dado ao selo faz referência ao seu segundo trabalho de estúdio, “Gigantes” (2018), que sucedeu o debut “Castelos & Ruínas” (2016) e antecedeu “O Líder Em Movimento” (2020).






“E o anúncio de não somente uma, como três atrações, que irão tremer o palco do Psica com toda a força da sonoridade periférica nortista. A mega estrutura da aparelhagem sonora Surreal Crocodilo (@surreal_crocodilo) fez sua estreia no festival no ano passado e mostrou porque nem a popstar mundial Anitta conseguiu resistir à “dentada” do animal. Aliás, um dos momentos mais memoráveis da 9ªa edição foi a subida da rapper Karol Conká, uma das grandes atrações do festival passado, no espaço dos DJs. A parceria de sucesso é retomada este ano e ganha o peso de mais duas históricas aparelhagens sonoras: o Super Pop Live (@superpopfestas) e o Mega Príncipe Negro (@megaprincipe_oficial).



“O Psica faz parte de um movimento cultural, político e social que está acontecendo nessa cidade. Então, dentro do festival a gente discute temas pra fazer com que as pessoas, cada vez mais, se identifiquem com esse movimento. Desde 2018 a gente vem fazendo isso e se olhar pra trás, a gente sempre fala de pautas decoloniais. A gente não tá inventando uma narrativa, apenas contando o que já acontece, mostrando o poder e toda a força da cultura local”, explica um dos diretores do festival, Jeft Dias. “A gente fala muito com o público local pra ele se olhar, se enxergar, se ver em lugares de protagonismo e ocupar os espaços, mostrando nossa forma de pensar cultura, pensar mundo, a humanidade, que essa forma de pensar chegue em outras pessoas. É um movimento de dentro pra fora”, conclui Gerson Junior, diretor do evento.


Serviço: Festival Psica 10 anos
Dias: 16 a 18 de dezembro
Local: confirmado em breve
Ingressos: festivalpsica.byinti.com
Informações pelo Instagram @psicaproducoes.


Texto: Fernando Assunção (Assessoria de Comunicação)
  • Preto Ícone Twitter
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon