Comunicação da Artista

Lúcia Gomes apresenta exposição "Eu Sempre Vou Che Amar" em Quatipuru/PA


#Exposição

Imagem: divulgação.


A partir do dia 09 de agosto, a artista visual, Lúcia Gomes, apresenta na Galeria Arte Direitos Humanos, no município de Quatipuru no interior do Pará, a sua Exposição "Eu Sempre Vou Che Amar". A artista oferece esta mostra de artes visuais ao sentimento que se desenvolve desde os 13 anos pelo revolucionário Che Guevara (1928 – 1967), ícone da Revolução Cubana (1959). Um amor que é seu, por ela construído e que desde 2013 não lhe vem cabendo no peito e lhe inspira a declará-lo aos quatro cantos do mundo.



"Reuni obras bidimensionais e registros em pequeno formato, de 2013 a 2022 que estão dispostas na parede da pequena Galeria de Arte Direitos Humanos, na cidade de Quatipuru/Pará. Em 2014 fiz a performance Eu CHE Amo na cidade de São Galo na Suíça, cortei corações com um estilete nas caixas de papelão do lixo seletivo na rua, no centro comercial, o parco registro que fiz também será exposto", conta Lúcia Gomes.



Como artista visual, seu grito é vocalizado nos títulos dos trabalhos, nas ações e produções. As intervenções feitas por recortes e colagens de corações nas fotografias impressas de Che Guevara, roupa e outros produtos com a estampa do Che, remontam algumas das práticas de uma adolescente apaixonada, que entretanto amadureceu e agora retoma a técnica com afeto, crítica social e política.




Sobre a importância da mostra, Lúcia Gomes, diz que pretende deixar em aberto para o público determinar. "Quem decide a importância será o público, a crítica, o tempo... Eu simplesmente mostro nesta exposição o meu amor e carinho por Che Guevara, o meu respeito pela sua coragem de ter lutado por justiça social e direitos humanos", explica a artista.



O momento de encontro de Lúcia Gomes e Che Guevara ocorreu durante ditadura militar no Brasil (de 1964 a 1985). Neste mesmo período, Lúcia, também revolucionária, participava do MR 8 – Movimento Revolucionário 8 de Outubro. Esses eventos (o Che, a ditadura militar e o MR8) marcam a produção artística e se fazem presentes em sua expressão artística, poética e política da artista. Seu amor não teria como ser diferenCHE.



Em relação a expectativa para a exposição, a artista diz estar com uma mescla de vários sentimetos. "Alegria, sensibilidade, amor, conexão com os direitos humanos e de que é possível sonharmos e lutarmos por uma sociedade mais justa", ressalta Lúcia Gomes.


Serviço: Exposição "Eu Sempre Vou Che Amar" de Lúcia Gomes.
Local: Galeria Arte Direitos Humanos (Quatipuru Pará). Período: 09 de Agosto até 28 de Setembro.
Informações: (91) 98528-1938 ou pelo Instagram @luciagomesqt.

Texto: Comunicação da Artista
  • Preto Ícone Twitter
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon