Ariela Motizuki

IV Cortejo Visagento traz valorização do folclore paraense no bairro do Guamá


#Cortejo

Imagem: divulgação.

Como forma de valorizar a cultura local, o IV Cortejo Visagento acontecerá no dia 31 de outubro, conhecido mundialmente como o Dia das Bruxas, mas que, regionalmente, é comemorado como o Dia da Matinta. Com uma programação contou com oficinas de produção de adereços e fantasias até escrita criativa para os moradores do bairro, a quarta edição do cortejo vai reunir a população por diversas ruas do bairro do Guamá, e deve contar com apresentações e performances do grupo Teia, Shaira Mana Josy, a Matinta Maria Borges e outros. A concentração vai partir do Cemitério Santa Izabel e segue em direção a praça Benedito Monteiro, passando pelas ruas José Bonifácio, Silva Castro, Liberato de Castro e Barão de Igarapé Miri.



Nesta edição, como forma de chamar atenção para as queimadas na Amazônia, o cortejo homenageia um personagem importante na história dos contos e lendas do Pará e do Brasil, Curupira, o guardião da floresta. “Esse ano nós decidimos que esse personagem seria o curupira, que é o defensor da natureza e juntamos ao Movimento Amazônia de Pé para trazer a discussão da importância da preservação depois de todas as queimadas que vem acontecendo nos últimos anos”, conta Tereza Oliveira, uma das organizadoras do Cortejo Visagento.






A expectativa nesta edição é de que pelo menos 1000 pessoas participem do cortejo que seguirá pelas ruas do bairro mais populoso de Belém, o Guamá, a criatividade sempre está presente por meio de fantasias e maquiagens artísticas, referenciando assombrações e personagens populares nas lendas já conhecidas por todos, como a Mulher do Táxi, a Cobra-grande, o Saci Pererê, o Curupira e muitos outros. Para Mineia Silva, coordenadora do evento e do Espaço Nossa Biblioteca, um dos objetivos é também reunir os alunos das escolas públicas do bairro no evento. "Esperamos que o evento consiga agregar um número bem maior de escolas participando, pois muitas ainda não haviam participado do Cortejo e esse ano vemos que estão confirmando presença”, enfatizou Mineia.



O projeto foi criado pelo Espaço Cultural Nossa Biblioteca (@ecnossabiblioteca) e recebe a colaboração de professores, artistas e moradores do Guamá. Essa busca pela valorização local também levou voluntários da Biblioteca a ministrar aulas dentro do Cemitério Santa Izabel. “O espaço tem como motivação realizar o cortejo todos os anos na ideia de promover a valorização de contos e lendas do Brasil e do Pará. Acreditamos que a nossa cultura tem que ser destacada, para não ser esquecida pelas novas gerações, sendo justamente uma forma de resistência à cultura americana”, explica Mineia.



A escolha de iniciar o cortejo no Cemitério Santa Izabel também possui um significado: é um espaço de fortes crenças populares e cenário de diversas lendas conhecidas no bairro. A ideia de referenciar o cemitério não apenas como um lugar sombrio, mas também como um local de realização cultural e de lazer, influenciou na hora de escolhê-lo como ponto de partida em todas as edições até hoje.



SERVIÇO: IV Cortejo Visagento
Local: Cemitério Santa Izabel, bairro do Guamá.
Data: Segunda-feira (31/10) Horário: 18h



Texto: Ariela Motizuki (Assessoria de Imprensa)


  • Preto Ícone Twitter
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon