Dominik Giusti

Festival Amazônia FiDOC lança documentário “A Pajé” e realiza ações na Ilha do Marajó


#Documentário

Trecho do documentário "A Pajé" - Imagem: divulgação.


Hushahu Yawanawa, liderança da Terra Indígena do Rio Gregório, no Acre, Amazônia brasileira, fez um movimento inédito em seu território: um retiro de 12 meses para se tornar uma pajé, em 2005, aos 25 anos de idade. Durante o período, ela recebeu informações dos espíritos sagrados e os ensinamentos dos pajés anciões. As dietas sagradas e as medicinas da floresta antes eram de usos exclusivos dos homens, mas Hushahu e sua irmã Putani, romperam a tradição e fizeram a preparação que incluiu dietas, banhos e o uso de medicinas da floresta.



A história se transformou no documentário “A Pajé”, realizado pelas diretoras Letícia Ottomani, Nelma Salomão e Helena Alba, que foi lançado em streaming gratuito em celebração à Amazônia nesta última segunda-feira (05/09), pelo do Amazônia FiDOC - Festival Pan-Amazônico de Cinema (@amazoniadoc) - que este ano chega à 8a edição e compõe a mobilização nacional pelo projeto Amazônia em Pé. O filme poderá ser acessado via plataforma AmazôniaFlix (@amazoniaflix.com.br) onde estão reunidos diversos títulos relacionados ao bioma.


O documentário foi exibido em 2021 na plataforma, por um curto período, e desta vez será disponibilizado para acesso permanente e sem custos. De acordo com Zienhe Castro, diretora geral do Amazônia FiDOC, o lançamento do título convoca os espectadores para compreender questões que perpassam o debate social no Brasil. “Como um fórum de discussão sobre a Amazônia, neste ano o festival reafirma sua função com ‘A Pajé', trazendo num só filme assuntos como direitos dos povos originários, gênero e território”, afirma Zienhe.





O filme discute estas questões na Aldeia Mutum, cenário do ritual feito pelas irmãs Yawanawa. Hushahu se tornou a primeira pajé mulher do seu povo e, a partir daí, saiu em direção ao mundo compartilhando sabedorias com outros povos. O objetivo deste trabalho é expor o que levou Hushahu a decidir passar pelos desafios antes só encarados pelos homens, poder evidenciar as transformações que aconteceram na aldeia e na vida das mulheres após o surgimento desta primeira pajé.


Festival AmazôniaFIDOC no Marajó

Pela primeira vez na Ilha do Marajó, o Festival Amazônia FIDOC se junta à Associação de Remanescente de Quilombos de Bairro Alto (ARQBA), em Salvaterra, e à Associação dos Moradores do Bairro Pacoval (AMPAC), em Soure, para realização de duas vivências audiovisuais junto às comunidades. Serão ofertadas oficinas de educação audiovisual e cada comunidade realizará seu próprio curta-metragem. Também serão feitas exibições de filmes em um cinema de rua.


“Firmamos parcerias para articulação e envolvimento de toda a comunidade nas atividades. O território do Marajó é muito importante para reafirmar nossa identidade ancestral. É importante levar essas ações que podem contribuir com o protagonismo dos jovens desses territórios, que ainda têm pouco acesso aos projetos culturais. Acreditamos que é nosso compromisso potencializar essas ações pelo interior do estado”, comenta Zienhe Castro.



Serviço: Festival Pan-Amazônico de Cinema - Amazônia(Fi)Doc

Lançamento do filme “A Pajé” / Disponível na plataforma AmazôniaFLIX - Acesso gratuito

Vivências audiovisuais - Ilha do Marajó
20 a 25 - Salvaterra - Comunidade Quilombola Bairro Alto
26 a 30 - Soure - Comunidade do Pacoval
Ação gratuita
Inscrições gratuitas de filmes para mostras competitivas até o dia 10 de setembro via plataforma FilmFreeway.
Acesse: https://filmfreeway.com/AmazoniaFiDoc
Confira regulamento completo no site www.amazoniadoc.com.br
Informações: ZFilmes: contato@zfilmes.com.br

Texto: Dominik Giusti (Assessoria de imprensa)
  • Preto Ícone Twitter
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon