Entrevista: Educadora fala sobre inclusão do Cinema como ferramenta pedagógica

#Educadora

#inclusãoDoCinema


Divulgação.


Uma roda de conversa online vai reunir especialistas do Brasil e de fora do país na discussão sobre a utilização do fazer cinematográfico como ferramenta pedagógica. O evento online será no dia 31 de Março, às 15h, pelo canal do youtube do Projeto Cinema Marajó. O projeto aprovado pelo Edital de Audiovisual - Lei de Aldir Blanc 2020. Este é o primeiro evento da agenda do projeto que inclui ainda mais uma roda de conversa, duas oficinas, uma de fotografia e uma de introdução ao audiovisual e uma exposição e uma mostra de documentários online.




A realização online dos eventos visa cumprir as agendas sem expor oficineiros ou alunos ao risco do Covid-19. A ideia é não privar os jovens alunos das cidades escolhidas dos conhecimentos que podem ser imprescindíveis para o futuro deles. A primeira roda de conversa online reunirá quatro especialistas.




São eles, José da Silva Ribeiro mestre em Comunicação Educacional Multimedia pela Universidade Aberta de Portugal e doutorado em Ciências Sociais – Antropologia pela Universidade Aberta de Portugal e realiza trabalho de campo em Portugal, Cabo Verde, Brasil, Argentina e Cuba; Raquel Pacheco da Rede Entre Planos, pesquisadora de pós- doutorado pelo CIAC – Centro de Investigação em Artes e Comunicação da Universidade do Algarve e pela FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia (Lisboa, Portugal). Mestre e Doutora em Ciências da Comunicação pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa com pesquisas na área do cinema e educação, literacia fílmica e audiovisual e estudo dos media.



Maria Alice Rocha - Divulgação.


Completam a mesa Denise Cardoso, coordenadora do Projeto Cinema Marajó e do Grupo de Antropologia Visual da Ufpa e Maria Alice Carvalho Rocha, doutora professora em Educação pela Universidade Federal de Goiás, com estudos e produtos artísticos centrados na temática da infância no cinema e em produções audiovisuais.




Maria Alice de Carvalho conversou conosco brevemente sobre como o cinema pode ser usado nos processos pedagógicos.

EV: Qual é a sua expectativa para esta roda de conversa?


Maria Alice: A minha expectativa é a melhor possível, pois encontrarei pessoas que inspiram meu trabalho, que a roda de conversa possa incentivar outros colegas a investirem nessa aproximação entre cinema e educação de modo a nutrir os processos educativos. Como toda arte, a linguagem do cinema pode criar condições para dizer o que for preciso e, inclusive, para dizer o que era impossível de ser dito de outra maneira.


EV: Que tipo de novidade o cinema pode implementar na vida de crianças e

jovens?


Maria Alice: Talvez a novidade maior seja a de que eles também podem criar filmes, onde possam falar sobre o que vivem e o que acham importante. O cinema pode contribuir para a construção de alteridades, a dizer sobre si, a percebe o outro, a problematizar, a suportar dores.


EV: Como começou seu interesse em colocar o cinema como ferramenta

pedagógica?


Maria Alice: Assim como muitos professores, comecei com a exibição de filmes e os debates, antes mesmo de termos uma lei nacional, a de 2014, que dispõe sobre a exibição de filmes na escola. Depois, ao participar de uma disciplina do mestrado em Artes e Cultura Visual, ministrada pelo professor José Ribeiro. Nessa disciplina, trabalho de campo e narrativas audiovisuais, além das discussões sobre os processos de produção envolvidos nos filmes etnográficos, tivemos que realizar vários exercícios criativos, inclusive produzir um curta documentário. A partir dessa experiência, comecei também a propor o mesmo para meus alunos. Primeiro com os alunos de Ensino Médio, depois com os alunos dos Anos Iniciais e mais recentemente com os mestrandos dos Programa de pós-graduação de minha unidade, no Mestrado Profissional em Ensino de Educação Básica. Nessas experiências estudantis trabalho com outros parceiros, colegas professores que como eu, acreditam na potencialidade do cinema para um trabalho coletivo, criativo e de muita aprendizagem.


EV: Como a senhora vê o cinema sendo trabalhado dentro das salas de aula?


Maria Alice: Já existem muitas experiências com o cinema na educação. Inicialmente ele aparecia para ilustrar e abordar algum conteúdo escolar, mas ultimamente sua linguagem também está sendo explorada. Muitos professores e das mais áreas diversas estão procurando realizar com os estudantes exercícios fílmicos, promovendo processos de produção, isto é, convocando os estudantes para experimentar todo o processo criativo de um filme.



Serviço: A roda de conversa online sobre cinema e educação será no dia 31 de Março,

ás 15h, no Canal de YOUTUBE do projeto Cinema no Marajó.


Texto e informações: Marcia Lima (91) 98300-1636.

83 visualizações

Posts recentes

Ver tudo