"Encurralados na Ponte" - 32 anos depois

Atualizado: Fev 16

#PauloFerreira



No último domingo, 29 de dezembro de 2019, completaram 32 anos de história do massacre de Serra Pelada. Para o acontecimento não ser esquecido pelo tempo, a memória foi transformada no livro "Encurralados na Ponte", pelo escritor e jornalista Paulo Roberto Ferreira, que traz relatos do ocorrido em 1987, sobre a ponte no rio Tocantins, no Pará.




Condenado ao esquecimento, o massacre dos garimpeiros na ponte rodoferroviária sobre rio Tocantins, em Marabá, sudeste do estado do Pará, em 29 de dezembro de 1987, inaugurava um modo de repressão estatal do Pará. O método de encurralar os manifestantes e promover à execução das vitimas em estradas e pontes, como o que aconteceu em Eldorado do Carajás nove anos depois.




Para o escritor, é de vital importância manter a memória viva de fatos como o ocorrido em Serra Pelada. "O objetivo do livro 'Encurralados na Ponte' é retirar do esquecimento as tragédias amazônicas, recorrentes num país em que o Estado está a serviço do capital", Comenta.



O massacre da ponte segue impune até hoje, 32 anos depois, sem que o Estado em nenhum momento fosse responsabilizado pelo massacre dos garimpeiros.


Os milhares de garimpeiros da Serra Pelada representava uma ameaça ao grande capital que estava pronto para lançar suas garras nas riquezas da região do Araguaia-Tocantins. Exemplo disso é a permanente disputa pelo território que a mineradora Vale estabeleceu com os indígenas, garimpeiros e sem-terras.



Imagem: divulgação.

Para adquirir o livro, acesse o link https://www.editorapakatatu.com.br/product-page/encurralados-na-ponte-o-massacre-dos-garimpeiros-de-serra-pelada.



Paulo Roberto Ferreira é jornalista e escritor. Mestre em Ciências da Educação; trabalhou como repórter, redator e editor de jornais e revistas, com passagem pela imprensa alternativa (Bandeira 3 e Resistência). Foi repórter, apresentador e diretor de TV; e secretário de Comunicação Social. É autor dos artigos acadêmicos “Mais de 180 anos de história da imprensa na Amazônia” e “Após o regatão, o rádio e a televisão”. Participou da coletânea Recortes da Mídia Alternativa, com o artigo “Tempos de Resistência”; é autor dos livros A censura no Pará – A mordaça a partir de 1964; e Encurralados na Ponte – o massacre dos garimpeiros de Serra Pelada; coautor do livro O homem que tentou domar o Amazonas.

143 visualizações