A ARTE DE SER MULHER: A mulher no cenário cultural paraense

Atualizado: Abr 27

#MesdaMulher



Adriana Camarão - Imagem: Felipe Thuan.

E dando continuidade as publicações especiais sobre a arte de ser mulher, vamos conhecer um pouco sobre a história da publicitária, especialista em marketing, empresária e produtora cultural Adriana Camarão. Ela nos conta o desafio de atuar no meio cultural paraense.



Ela está no meio artístico e cultural desde 2008. Já atuou com produção de videoclipes, projetos musicais de Crowdfuding, conteúdo no Blog Croquis Amazônicos e no Gshow e entrevistou grandes nomes Regionais e Nacionais, como Angélica, Pe. Fábio de Melo, Banda RPM, Paulo Ricardo, Cantor Daniel, Matheus e Kauan, Leo Santana, Joelma, Rosa de Saron, Viviane Batidão, etc.



Também já atuou na produção geral do Programa Sons do Pará da TV Liberal (de 2016 a 2018) e na produção de diversos eventos culturais.


Desafios de ser mulher e produtora cultural

Por Adriana Camarão


Quando decidi entrar para o universo de produção de bandas e artistas em 2008, ouvi muito: "isso não é coisa de mulher" ou "você não vai dar conta de fazer, pois é mulher".




Sempre fui uma pessoa que ao ouvir: "você não vai conseguir", se torna um grande estimulo de cada vez mais eu não desistir. E com isso, fez a diferença para seguir nesta área e aos poucos ir me fixando neste mercado predominantemente dominado por homens.



Adriana Camarão - Imagem: Felipe Thuan

Todos os dias se torna um grande desafio vencer as diferenças e barreiras impostas neste meio. Lidamos com machismos, com assédios, menores cachês, mas é preciso estar de cabeça erguida e seguir com muito profissionalismo para lutar pelos direitos e trabalhar com diversos tipos de pessoas e situações.




Trabalhar com produção cultural e artística é um trabalho árduo, requer "sangue nos olhos", seriedade, equilíbrio e responsabilidade. E é muito gratificante quando temos um retorno de equipe e clientes que fazemos um bom trabalho, pois é isso que batalhamos sempre: entregar bons resultados.




Somos protagonistas de nossa própria história e a produção cultural precisa cada vez mais de mulheres que assumam este posto e provem para si mesmas que são capazes.

Reportagem: Vivianny Matos – Estante Cultural

73 visualizações