Single/Clipe Deixa Ir, de Liège, chega para curar as feridas abertas por 2020

#Liège

#SingleClipeDeixaIr




O clipe/single é o último a ser lançado antes do álbum digital que chega em junho Os saberes da floresta para cuidar da saúde, da alma, da vida. No começo de maio (dia 03), Liège lançou “Deixa Ir”, a quarta faixa lançada de Ecdise, álbum de estreia da artista, e vem acompanhada de um clipe inédito gravado na Ilha do Mosqueiro, região metropolitana de Belém do Pará, em outubro de 2020. O vídeo acompanha um ritual próprio das matriarcas da família de Liège, que tem origem indígena, evocando de modo poético dessa Amazônia ao mesmo tempo ancestral e moderna.




“Deixa Ir será a última faixa do disco a ser lançada antes da apresentação do álbum digital, porque, na verdade, é a síntese desse trabalho. Essa música é muito importante pra mim porque resume os caminhos que percorri até a construção de Ecdise. Depois de passear por vários momentos na minha carreira, precisei voltar às minhas origens, reconhecer de onde vim pra saber pra onde vou. Assim me reconectei com essa ancestralidade e pude entender melhor os caminhos que decidi seguir. Trouxe pro clipe gerações da minha família: minha bisavó, minha avó, mãe, eu e minha filha, através de um ritual próprio das matriarcas da família que tem origem indígena. Nós também somos responsáveis por perpetuar esses saberes, mantendo viva nossa cultura”, explica a artista que se prepara para lançar o álbum completo no dia 03 de junho.





Foi durante o processo de mudança para São Paulo que a música nasceu. A penúltima música a entrar no álbum reflete esse momento de desprendimento da artista. “Essa música fala de um momento muito difícil pra mim, que foi a chegada a São Paulo, quando minha família ainda não tinha chegado, eu estava sozinha. Foi um momento em que eu duvidei do meu trabalho, que pessoas se afastaram de mim. No auge de uma crise de ansiedade, eu fiz Deixa Ir”, relembra. A composição foi finalizada em estúdio com o produtor do disco, DJ Duh, o baixista Marcelo Cruz e a cantora e compositora paraense Marisa Brito, que colaborou com a construção da melodia e fez a direção vocal da faixa.




Ao mesmo tempo que Deixa Ir fala de ancestralidade e traz referências de ritmos afro amazônicos, a faixa apresenta um som contemporâneo e pop, com beats e samples, sob o olhar atento e sensível de Duh.




“Ecdise é um grande disco, é Pop/World Music de características e abordagens únicas. Ele marca o reencontro de uma artista consigo mesma e com as suas origens. Nosso maior desafio foi fazer com que a obra soasse pop, brasileira, mas não prejudicasse a regionalidade dela”, explica Duh.



Com Deixa Ir, Liège se prepara para o lançamento digital de Ecdise em junho deste ano. O álbum vem com dez faixas e traz como convidades especiais como o paulistano Daniel Yorubá e Thiago Jamelão – que também atuou como diretor vocal, e artistas paraenses.




O clipe – Gravado em outubro de 2020 na ilha de Mosqueiro, distrito de Belém à beira do rio, o clipe documental apresenta os rituais das mulheres da família de Liège, que trazem saberes e rituais da floresta, muito presentes na vida de muitas mulheres amazônidas. Com direção de Carol Taveira, o clipe é uma peça fundamental para este novo trabalho, pois apresenta quem é Liège, de onde veio e o que ela almeja deixar de legado a partir da sua arte.




Sobre Liège - A cantautora paraense Liège é uma das novas vozes da MPB contemporânea. Com uma sonoridade marcada pela MPB, batidas eletrônicas e ritmos afro amazônicos, a música de Liège é dançante e envolvente.



Serviço: | Single/Clipe Deixa Ir de Liège

ONDE: No canal de Youtube da Liège / Single nas principais plataformas digitais


Texto: Sonia Ferro (91) 98026-1595 - Assessoria de Imprensa (artista)

61 visualizações