Rafael lima e Minni Paulo no show “Amazônia Visceral”


Foto: Cláudio Ferreira

Dois artistas e quatro décadas de atuação musical. O show “Amazônia Visceral”, que será realizado dentro do projeto Parque Musical, nesta sexta-feira, 7 de junho, às 20h, no Teatro Gasômetro, comemora 40 anos de amizade e parceria musical entre Rafael

Lima e Minni Paulo, trazendo ainda uma homenagem ao maestro Waldemar Henrique.



Os músicos se encontraram no início dos anos 1970, no lendário Sol do Meio Dia, considerado o primeiro grupo de música instrumental independente de Belém. Depois seguiram carreira solo com apresentações no Rio e São Paulo, ganhando o mundo com apresentações pelo exterior, mas sempre se cruzaram pelas estradas da vida tocando e fazendo parcerias musicais, dentro e fora do palco. Mini Paulo gravou no terceiro CD de Rafael, na Suíça, e juntos realizaram tournée, indo até a Martinica participar do Festival de Cultura e Jazz.



Ambos, para além de suas próprias carreiras, desenvolvem projetos que promovem a música brasileira em conexão com a produção musical paraense, por meio dos festivais JacoFest e Baicool Jazz Festival.


A homenagem ao Maestro Waldemar Henrique marca a presença do compositor na carreira de ambos. Minni Paulo fez uma música dedicada a ele em seu primeiro CD, e Rafael Lima foi acompanhado por ele, ao piano, em “Foi Boto Sinhá”, um registro feito na casa do próprio maestro para o programa Som no Tucupi da Tv Cultura do Pará.



Foto:Cláudio Ferreira

Quatro décadas investindo na música instrumental


Minni Paulo iniciou sua carreira na década de 70 em Belém onde foi cofundador do grupo de música experimental Sol do Meio Dia. Anos mais tarde, saiu de Belém a convite do músico Johny Alf, com quem participou de turnês como baixista. Vivendo por muitos anos entre São Paulo e Rio de Janeiro onde tocou em turnês nacionais e internacionais de artistas brasileiros como Luiz Melodia, Elza Soares, Tim Maia, Zezé Motta e Ângela Rôrô.



Nos anos 1990, retorna a Belém com intenção de montar seu próprio grupo de musica instrumental, o Sociedade Marginal, e dá inicio a pesquisa para realização de seu primeiro álbum, “Floresta das Chuvas”, com notáveis elogios da critica nacional, o que o levou a fazer diversos concertos pelo Brasil e Europa, concretizando assim uma carreira solo como compositor e instrumentista.



O linguajar caboclo e ligeiro na música de Rafael


Rafael Lima, com sua maneira rápida de cantar o linguajar do caboclo Amazônida, também encantou plateias pelo mundo afora, começando por são Paulo e Rio de Janeiro, em 1984, quando se mudou de Belém. Em São Paulo foi convidado para fazer o projeto Pixinguinha em tournée nacional dividindo o palco com o saudoso Belchior. Depois foi ao Canadá, a Suíça, Europa e mundo afora.



É neste clima de amizade e décadas de muitas histórias, que o projeto Amazônia Visceral pretende fortalecer ainda mais os elos daquilo que sempre os uniu, a música instrumental, além e da parceria musical, que segue a mil, sempre que os dois se encontram.



Serviço


Show Amazônia Visceral – 40 ANOS - Rafael Lima & Minni Paulo. Dia 7 de junho, às

20h, no Parque Musical Teatro Gasômetro (Av. Gov Magalhães Barata, 830 - São Brás).


Ingressos à venda, antecipadamente no Núcleo de Conexão Na Figueredo – Av. Gentil

Bittencourt -, Salão Eskalp – Trav. João Balbi - e Gasômetro – Parque da Residência: R$

20,00. No dia do evento serão vendidos também à meia entrada R$ 10,00. Mais

informações pelo 91 98134.7719 (WhatsApp).


Texto: Luciana Medeiros/Holofote Virtual (91) 98134.7719

https://holofotevirtual.blogspot.com/

Fotos: Cláudio Ferreira

20 visualizações