Projeto promove passeios em bikes adaptadas e mostra que acessibilidade é um direito de todos


Ponto de Apoio - Imagem: divulgação.

No ultimo sábado (21) foi celebrado o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. A data busca chamar a atenção para a importância do desenvolvimento de meios de inclusão dessa parcela da população na sociedade. Segundo dados do último censo (2010) realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase 24% dos brasileiros (mais de 45 milhões de pessoas) possui algum

tipo de deficiência.




Em Belém, o Ponto de Apoio também endossa essa luta, atuando principalmente no que diz respeito a questão da acessibilidade. Criado em junho de 2018, a partir da experiência familiar de um dos idealizadores, o projeto promove passeios gratuitos em bicicletas adaptadas para pessoas com deficiência ou idosos com baixa mobilidade no Parque Estadual do Utinga, em Belém.



Ponto de Apoio - Imagem: divulgação.


Em um pouco mais de um ano de atuação, já beneficiou mais de 600 pessoas, possibilitando momentos de lazer, descontração e de interação com a natureza. A primeira edição, ainda de forma experimental, contou com três bicicletas e um pouco mais de 30 voluntários. Hoje são oito bikes com sidecar e mais de 50 voluntários fixos cadastrados.




Os benefícios com o projeto são vários. Os participantes e seus familiares ganham um dia diferente, fora da rotina domiciliar. Já os voluntários que conduzem as bicicletas, além de momentos de interação com os passageiros, ainda praticam exercício com as bicicletas. E, para os frequentadores do Parque do Utinga, fica ainda a lição de que o espaço público pode e deve ser compartilhado por todos, com respeito e inclusão.



Financiamento coletivo - O projeto iniciou uma campanha de financiamento coletivo para arrecadar fundos que vão ajudar na formalização do projeto, manutenção completa das "vermelhinhas" e compra de equipamentos ao projeto, como mesas e cadeiras, além de quitar pendências com fornecedores e adquirir mais uma bicicleta. A campanha é válida até o dia 14 de outubro. Para garantir transparência, a coordenação publicará no site do projeto uma prestação de contas, com a descrição dos valores arrecadados e despesas pagas, logo ao final da campanha, com a relação de participantes.



Ponto de Apoio - Imagem : divulgação.

A campanha está hospedada no site Benfeitoria(benfeitoria.com/pontodeapoio2019), que realiza consultoria e acompanha os projetos de arrecadação, checando previamente a responsabilidade e seriedade das propostas. Para participar, é preciso fazer um breve cadastro. As contribuições variam de R$ 15 a R$ 1.000, com recompensas que vão de bonés do projeto a participação em sorteios de camisas oficiais autografadas

de times renomados do cenário local

(Remo e Paysandu) e nacional (Vasco da Gama).




Ao todo são cinco fases, totalizando R$7.000. A primeira meta é arrecadar R$ 600, que vai garantir a compra de jogos de mesas e cadeiras, que são usadas em cada edição.




A segunda meta é somar recursos para pagamento das taxas e procedimentos necessários para que o projeto seja formalizado como Associação, possa ter CNPJ próprio e, assim, expandir as atividades e se inscrever em editais de incentivo para projetos sociais. Já a terceira meta é o pagamento de pendências com fornecedores, uma vez que o projeto confeccionou camisetas e kits para os voluntários, além de adquirir bicicleta para deficiente visual que ainda não foi quitada. A quarta etapa vai arrecadar fundos para revisão completa nas bicicletas, incluindo pintura, renovação de estofados e melhorias necessárias na carenagem das "vermelinhas". Já a meta cinco, a última da campanha, é gerar recurso para a compra de mais uma bicicleta com cabine de passageiro. Hoje, o projeto conta com oito bikes deste tipo e o grupo quer chegar a dez.




Para saber mais sobre o projeto ou acompanhar o andamento da campanha, basta acessar o nosso perfil no Instagram e no Facebook (@pontodeapoiopa).



Texto: Assessoria de Comunicação do Projeto

66 visualizações