Projeto oferece passeio virtual por exposições e acervos culturais

#PasseioVirtual



Imagem: Secult Ascom / Divulgação.

Com o objetivo de aproximar a população que esta em isolamento social com espaços dedicados à história, à memória e à arte do Pará, a Secretaria de Estado de Cultura (Secult), está promovendo um encontro virtual do público com cada museu do Estado, em uma série de vídeos postados nas redes sociais da Secult e exibidos na programação da TV Cultura do Pará.



O projeto “Bora pro Museu” vai possibilitar na web e na TV aberta um passeio pelas exposições, acervos e reserva técnica, fazendo um recorte de cada espaço. Alternativa em meio à pandemia de Covid-19, a iniciativa servirá para fortalecer a relação do público com os museus, tornando-se um projeto em permanente expansão. O piloto, gravado no Museu do Círio e lançado em maio, já conta com mais de duas mil visualizações nas redes sociais da Secult.



Para o diretor do Sistema Integrado de Museus (SIM), Armando Sobral, o uso das redes sociais e da televisão como aliadas permite uma espécie de globalização dos museus. “Essas redes rompem com as fronteiras locais. É um passo importante no reconhecimento da missão desses espaços dos museus na Amazônia. O projeto não é somente um audiovisual que fala de uma visão centrada em coleções de obras de arte. Ele vai mostrar vários aspectos da nossa cultura que estão dentro dessas instituições”, destaca.



Imagem: Secult Ascom / Divulgação.


Para a secretária de Estado de Cultura, Ursula Vidal, a série de vídeos estabelece novas conexões com os espaços de preservação da memória e da história. “Já estamos imersos em novas dinâmicas de fruição estética, de acesso a conteúdos artísticos e culturais. Fazer uma cartografia desse acervo, visitar a reserva técnica, investigar as metodologias educativas, a interação com instituições de pesquisa, além de mergulhar no próprio processo curatorial - tudo isso está presente nesses novos formatos de contato do público com os museus, neste momento de pandemia”.




Para a diretora de TV da Cultura Rede de Comunicação, Vanessa Vasconcelos, a televisão será uma mídia de grande importância para a difusão do projeto. “Como temos alcance em boa parte do território paraense, imagina alguém lá em Santarém poder conhecer um museu que fica do outro lado do Estado pela TV? Essa é uma iniciativa fantástica", comemora.




Acompanhando de perto as gravações do projeto, o coordenador de Documentação

e Pesquisa do SIM/ Secult, Emanoel Oliveira Jr., destaca a relação dos objetos do

acervo com a cultura paraense. “A proposta de cada um desses episódios é traçar

uma biografia dos objetos, explorando diversas dimensões – antropológicas,

sociológicas, históricas, etc. – e, a partir delas, levar o espectador a perceber que

cada um deles aparece e se constrói dentro de uma rede complexa de relações,

sendo mais do que objetos de museus”, aponta.



Texto e fonte: Gabriel Marques (SECULT) / AGÊNCIA PARÁ

51 visualizações