MANA segue com inscrições abertas oficinas para mulheres que atuam na música

#Inscrições


Caros leitores do Estante Cultural, devido a instabilidade de nosso provedor, as imagens de chamadas não estão podendo ser carregadas. Pedimos a compreensão de todos.




O Festival MANA abriu inscrições para oficinas gratuitas voltadas à profissionalização de

mulheres que atuam no mercado da música. São quatro temas que serão abordados nos encontros presenciais e virtuais, nos dias 30 de novembro, 1o e 2 de dezembro. As

inscrições seguem enquanto houver vaga.




Renata Beckman, instrumentista e integrante do duo Guitarrada das Manas, ministra a

oficina presencial “Roadie: por trás de um grande show, dentro e fora dos palcos". Ser

roadie é fazer o suporte técnico antes, durante e depois de uma apresentação. Na oficina, além de apresentar funções, as participantes poderão conhecer mais sobre cabos, instrumentos e equipamentos, além de discutirmos o papel subjetivo do nosso trabalho, que é trazer segurança e confiança para as musicistas e músicos que estão no palco. “Vamos trabalhar teoria e prática, passando pela elétrica, pela afinação e pela montagem de um palco”, diz Renata.




As fotógrafas Tereza e Aryanne, com extensa experiência em produção de retratos de

artistas, ministram a oficina “A imagem da música: criando imagens através da fotografia”. A oficina terá uma parte teórica e também prática. “A música sugere sentimentos, a imagem dessa música a acompanha, dá significado, resulta na memória visual daquela artista, divulga aquele disco, aquele show. Conta uma história, marca uma fase”, relatam as fotógrafas.





A jornalista Juliana Sá fala diretamente do Rio de Janeiro em sua oficina online. Experiente assessora de imprensa, Sá acompanha de perto a carreira de inúmeros artistas, sobretudo os independentes, e trabalha na construção de estratégias de comunicação deste nicho. Na oficina, a jornalista abordará as etapas de estruturação e planejamento de comunicação de um trabalho artístico. A partir da aproximação e diálogo com as inscritas, irá expor as diferentes estratégias para a circulação midiática de álbuns, EPs, singles e shows.




A cantora, compositora e ilustradora Tulipa Ruiz ministra a oficina online “Ilustração e

música”. Os encontros se darão a partir da troca de relatos sobre a imagem do som,

considerando o repertório da artista e dos participantes da oficina. A ideia dos encontros é decupar memórias gráficas de sons que amamos e estimular a criação de novos desenhos inspirados na música.




O evento traz também seis painéis de debate para a troca de experiências e o estímulo à formação de uma rede entre mulheres da música. Este ano, o projeto homenageia Fafá de Belém, uma das artistas mais importantes da região Norte e do Brasil. Fafá fala sobre sua trajetória no painel “O canto da Amazônia que atravessou rios e mares”. Versando sobre tecnologia e interação, “Experiências imersivas - novos formatos para música”. Sobre comunicação em tempos de redes sociais, o painel “O futuro do artista é ser produtor de conteúdo?”. Haverá ainda o debate “O que a música da Amazônia tem a dizer pro Brasil e pro mundo”; além do painel sobre mulheres autoras de canções e, por fim, outro sobre “Imagem e Música: criação de um conceito artístico”.




Shows : O Festival MANA 2021 terá formato híbrido, com programação online e presencial, de 26 novembro a 2 de dezembro. A 3ª edição do projeto chega com novidades, experiências imersivas que levam o público ao interior da Amazônia para ouvir o batuque das mestras do carimbó, e percorre estradas até os quilombos do Amapá, que ecoa o tambor da origem afro-índigena do Norte. São mais de 50 mulheres de diversas regiões do país no evento que ainda traz shows, painéis de debate, oficinas, mostra audiovisual, grafite e projeções mapeadas nos centros urbanos do Brasil.





Serviço:

Inscrições para oficinas gratuitas do Festival MANA 2021: www.festivalmana.com. Siga o

Festival nas redes: Instagram.


Texto: Gil Sóter (91) 98942-4037 (Assessoria de Imprensa)




Palavras-Chaves