Música paraense e cabo-verdiana na Baía do Guajará

#Musica


Mindela Soares e Manuel di Candinho - Divulgação.


Formada pelo encontro da foz dos rios Guamá e Acará, a baía do Guajará será o cenário e o palco para os shows da cantora cabo-verdiana Mindela Soares, que estará acompanhada pelos músicos Manuel di Candinho e Palinh Vieira, também de Cabo Verde; e da paraense Mariza Black, que será acompanhada pelos músicos Paulo Robson (violão e João Paulo Pirez (Percussão). A cantora Natalia Matos fará participação especial nas apresentações. A programação ocorrerá, nesta quinta-feira, 3 de dezembro, às 19h, no barco Tribo dos Kayapós (Vale Verde Turismo), que sairá da Estação Hidroviária da Docas.




A atividade integra o Projeto de Extensão “Intercâmbio Turístico-Cultural entre Belém – Pará - Brasil e Cabo Verde”, da Universidade Federal do Pará (UFPA), desenvolvido pelo Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA), por meio da Faculdade de Turismo (Factur), em parceria com o Escritório Modelo de Práticas Acadêmicas em Turismo (Empactur). A iniciativa contará com todas as medidas de prevenção à Covid-19, com lotação de até 70 pessoas, entre convidados, músicos e equipes de coordenação e produção do projeto.




Pela primeira vez no Brasil, Mindela Soares diz que está ansiosa e que suas expectativas são as melhores possíveis. A cantora vai apresentar músicas em ritmos tradicionais de Cabo Verde. “Estarei apresentando a minha cultura através das mornas, coladeiras, ritmos que verdadeiramente caracterizam a minha pessoa e levarei o sentimento do caboverdiano e a morabeza (amabilidade e afabilidade) do meu povo, para todos os brasileiros”, diz.




O projeto de extensão iniciou sua primeira etapa em 2019, e este ano promoveu o encontro virtual entre Mariza, Mindela e Natalia, e outros convidados, trazendo como tema, o empreendedorismo feminino na música, a partir da experiência das cantoras. O segundo encontro digital, aberto ao público, contou com a participação do músico Manuel di Candinho e do Prof. Doutor Paulo Pinto, da Factur, que coordena o projeto em 2020. Mediada pela turismóloga Inês Silveira, o debate trouxe como tema as políticas públicas de turismo e cultura como fatores de aproximação entre Belém do Pará e Cabo Verde.



Mariza Black - Divulgação.


Para Mariza Black, o desfecho do projeto promovendo esse encontro presencial será uma oportunidade para concretizar esse intercâmbio musical. “Depois de conhecermos o trabalho de Mindela de forma virtual, será um prazer apresentar a ela, e aos músicos cabo-verdianos, um pouco do nosso samba, com sotaque amazônico. O samba é do Brasil, mas a gente tem aqui a nossa própria linguagem”, diz a cantora que, além de apresentar canções do repertório de seu primeiro CD “Samba Paraoara”, lançado em 2019, também vai mostrar música nova.




“Legítima Defesa”, é música de autoria de Naldinho Freire (violão/nylon), que assina também a produção musical e executiva. A letra é do músico paraibano Escurinho. Gravada no Budokaos Records, a gravação teve participação da percussionista Loba Rodrigues e de Marcel Barretto (violão/aço, synth bass), responsável também pela mixagem e masterização da canção.



Natalia Matos - Divulgação.


A ação musical da próxima quinta-feira, 3, encerra as atividades do projeto este ano, mas ainda contará, em 2021, com o lançamento do livro "Turismo, Gastronomia e Música: elos entre Belém do Pará e Cabo Verde", consolidando assim as relações turístico-culturais entre Belém do Pará (Brasil) e Cabo Verde (África). O projeto de extensão foi realizado por meio da Emenda Parlamentar do Deputado Federal Edmilson Rodrigues, candidato do PSOL eleito prefeito de Belém, neste último domingo.



Texto: Luciana Medeiros (HOLOFOTE VIRTUAL - Comunicação | Arte | Mídia)

Contato (91) 98134-7719

83 visualizações