Jovens da periferia de Belém debatem Comunicação como direito humano

#Diversidade

Incidência Juventudes LGBTI+ e a luta por direitos no Solar da Beira - Imagem: Naiane Queiroz / Divulgação.

Com o objetivo de discutir e usar a comunicação popular e suas linguagens como ferramenta para defesa dos direitos humanos e da democracia, tornando-a um instrumento de denúncia e fortalecimento das lutas de todes, o evento “Amplifica Juventudes: Comunicação como direito humano” realiza neste sábado (25/06), das 15h às 20h, roda de conversa, batalha de rap e mural de graffiti com a comunidade do Conjunto Jardim Sevilha, ocupação urbana localizada na Rodovia Augusto Montenegro, n° 6800.




O evento faz parte das atividades de incidência do curso de comunicação popular do Instituto Universidade Popular (UNIPOP - @unipop_oficial) que tem o intuito de gerar impacto social/político e mudança de comportamento dos participantes, todos jovens das periferias da Região Metropolitana de Belém, por meio de exercícios e aprendizados em módulos.




A primeira incidência do curso foi realizada no Solar da Beira, no complexo do Ver-o-peso, com a temática “vivências LGBTI+ e a luta por direitos” e programação com desfile de maquiagem, feira de venda de roupas customizadas, brechós, rodas de conversa, performances de drags e grupos de carimbó, como resultado dos módulos de diagramação e mídias digitais do curso. Na segunda incidência, a temática foi “Juventudes negras e a luta por direitos” realizada na Casa Samaúma, no bairro da campina, e contou com roda de conversa, exposição de vídeos e fotografias como resultado dos módulos de fotografia e vídeo de bolso.




Nesta terceira incidência, realizada em parceria com a Associação de Moradores do Jardim Sevilha (AMOJAS), a programação é voltada para a exposição dos resultados dos módulos do curso, em especial o último módulo de graffiti, onde as juventudes da comunidade junto aos participantes do curso vão pintar dois murais e debater sobre as próprias formas de fazer comunicação, conforme ressalta Patrícia Cordeiro, coordenadora da UNIPOP:





“Os momentos de Incidência são de grande importância para UNIPOP, porque além de dar visibilidade às nossas ações, mostra o quão potentes são as juventudes e sua capacidade de resistir e lutar. Também, este evento tem grande significado por acontecer dentro de uma ocupação [Residencial Jardim Sevilha] que resiste há 28 anos à especulação imobiliária, tendo na sua comunidade um grande número de jovens à margem das políticas públicas”.




Para Anastácia Trotskyne, 24, moradora do Guamá, o que a motivou fazer o curso foi a busca por outras perspectivas sobre comunicação, “entender como eu posso através das minhas redes e plataformas digitais também construir a comunicação que não é apenas social e popular, mas também digital, alternativa e, principalmente comunitária, qual estou utilizando as experiências que eu tive no curso para trabalhar na minha comunidade e com as comunidades dentro da minha comunidade”.




Para Julis Albuquerque, 26, moradora do Paar, em Ananindeua, a troca de jovens para jovens foi o diferencial na participação do curso, “foi muito enriquecedor para mim trocar com outras pessoas, com outros jovens que foram facilitadores dos módulos e também tem praticamente a mesma idade que eu tenho. É bem interessante essa troca, essa quebra de diferença de gerações para nossa experiência”.





SERVIÇO: Amplifica Juventudes: Comunicação como direito humano

Data: 25/06 Horário: a partir das 15h.

Local: Conjunto Jardim Sevilha, localizado na Av. Augusto Montenegro, No6800 . Evento gratuito.

Veja a programação no Instagram @nacuiaprodutora


Texto: Matheus Botelho (Na Cuia Produtora Cultural)


Palavras-Chaves