I Mostra Retumbaiá - Danças Circulares & Culturas Populares da Amazônia

#MostraRetumbaiá

Retumbaia - Imagem: Victoria Sampaio / Divulgação.


“RetumBaiá" dá nome à I Mostra de Danças Circulares & Culturas Populares da Amazônia, que será realizada a partir deste final de semana. O projeto foi um dos contemplados pelo Prêmio Edital Culturas Populares – Categoria Cultura em Movimento / FIDESA – SECULT-PA | Lei Aldir Blanc. RETUMBAIÁ propõe o diálogo transdisciplinar acerca das danças circulares & danças e outras poéticas das tradições brasileiras na Amazônia, reunindo antigos e novos focalizadores das danças circulares, artistas, educadores, mestres, brincantes e uma equipe de pesquisa, produção e comunicação.




É a primeira realização de Mainumy, que pretende dar gratidão a todas as comunidades

tradicionais, mestras e mestres dos saberes populares, pesquisadores artistas, educadores; e a todos os grupos e focalizadores de danças circulares, parceiros envolvidos pela nutrição amorosa ao longo desta bela história da dança na Amazônia e em nossa aldeia-mundo.





O que vai ser realizado


Nesta sexta-feira, 17, portanto, a Roda Brincante ManiFESTA DAS ÁGUAS convida o público a participar da prática, a partir das 18h, na Praça Milton Trindade (Horto Municipal). Haverá interação, criação e recriação estética e cultural entre artistas, pesquisadores e o mestre de cultura popular Raimundo Borges, antigo colaborador da

pesquisadora-proponente. Tal intervenção presencial será realizada mediante protocolos da pandemia.



No domingo, 19 de setembro, a programação segue com o BAILE - Encontro CIRCULAR “A AMAZÔNIA NOMUNDO, o MUNDO NA AMAZÔNIA”, a partir das 10h, no Solar da Beira – Ver-o-Peso.


O encerramento do projeto será no dia 17 de outubro, conta com o lançamento digital do Site Mainumy – anDanças e poÉticasbrincantes, com a participação simbólica de Mestres-artistas brincantes, e um amplo público do Brasil e do Mundo. Será o momento em que os pesquisadores-brincantes compartilharão ideias sobre o processo criativo do projeto, contando ainda com oficinas e relatos de aplicação dessa linguagem da dança nas diversas áreas.




Nesta ação digital, haverá participação de focalizadoras do Pará, Manaus, São Luís e outras regiões brasileiras, com acesso virtual gratuito aos focalizadores, educadores, terapeutas, e público em geral, do Brasil e do Mundo.





Processo criativo


As duas ações foram criadas a partir de VIVÊNCIAS RETUMBAIÁ – processo criativo colaborativo, que consiste na realização de encontros presenciais regulares com a equipe de artistas-brincantes-focalizadores do projeto e, eventualmente, com o Mestre Raimundo Borges. Nos encontros são realizados estudos musicais e de dança a partir de um roteiro gestual-poético-simbólico-musical que será apresentado na roda brincante – espetáculo interativo da mostra. Também fazem parte das Vivências RetumBaiá, encontros com outras comunidades – educadores, mestres, artistas e focalizadores, como parte do processo de criação e compartilhamento e trocas de saberes, metodologia criativa colaborativa inerente às culturas populares.




Todo o processo criativo do projeto é colaborativo e tem inspiração na pesquisa de 19 anos de Maria Esperança Tenetehara, focalizadora de danças circulares, arte-educadora,

pesquisadora e estudiosa e praticante das danças, músicas e poéticas das manifestações culturais da Amazônia. Há um recorte nas tradições em louvor à São Benedito, propondo um repertório que integra músicas, corporalidades, ritmos, cantorias e narrativas que dialogam entre si, a ser compartilhado na Mostra de Dança.



O site Mainumy


A criação do site e a realização do baile-encontro também têm como base a referida pesquisa e o acervo da ong Mana-Maní Círculo Aberto de Comunicação e Cultura. Instituição co-criada e liderada por Maria Esperança Tenetehara, pessoa que teve papel fundamental na inserção das danças circulares do mundo na Amazônia, bem como a difusão das danças circulares da Amazônia Paraense para o Brasil e para o mundo.





Serviço: Retumbaiá - I Mostra de Danças Circulares & Culturas Populares da Amazônia. Por motivos e cuidados contra a Covid, a limitação de participação na Praça do Horto, no dia 17, às 18h, será de 80 pessoas. Já no dia 19, às 10h, no Solar da Beira, a capacidade será de 50 pessoas. Nesta atividade solicita-se às pessoas que levem algo para sentar, como canga/lenço/mini-esteira para a roda de conversa; além de garrafa de água, álcool gel e máscara.



Texto: Luciana Medeiros (91) 98134-7719 (Holofote Virtual)

187 visualizações

Posts recentes

Ver tudo