Grupo Palha transmite as últimas apresentações do espetáculo O Quarto neste fim desemana

#GrupoPalha

#EspetáculoOQuarto


Imagem: Bruno Moutinho / Divulgação.

Uma pesquisa em duas das obras do icônico dramaturgo brasileiro Plínio Marcos inspira a nova peça do Grupo de Teatro Palha. Explorando o submundo e a miséria humana, O Quarto estreou na última sexta-feira (16) e realiza suas três últimas apresentações da temporada nos próximos dias 23, 24 e 25, sempre às 20 horas, no canal do grupo do YouTube.




Os textos Navalha na Carne (1967) e Barrela (1958) foram aprofundados pela encenação

do diretor Paulo Santana, que resultou em um espetáculo visceral em revelar a miséria humana. No elenco, a veterana Abigail Silva contracena com dois outros nomes que despontam no cenário teatral de Belém, Bonelly Pignatário e Kesynho Houston, imprimindo um espetáculo de uma intensa entrega cênica.




Na peça, a prostituta um tanto velha e nada bonita Deusa Marly, após um dia de trabalho encontra Zeca, seu amante e cafetão, no quarto sujo e decadente em que reside. Ele está sem dinheiro e procura a mulher para que esta lhe entregue o dinheiro de seus programas, quando ela dá conta que este não está onde ela deixou. Depois de muito bate-boca, a suspeita do casal, então, recai sobre Lindinha, homossexual que trabalha como faxineiro no local, que poderia ter roubado o valor quando entrou no quarto para fazer a arrumação. Quando Lindinha é chamado, ele nega seu envolvimento no sumiço do dinheiro e defende-se como pode, gerando as discussões que nortearão o restante da trama.





O grupo iniciou o trabalho com a intenção de trazer para a cena o texto na íntegra “Navalha na Carne” de Plínio Marcos, uma obra que expressa as contradições da sociedade no que tange a relação de poder e submissão, porém durante o processo de montagem, o grupo optou em trabalhar as ações violentas e discriminatórias das condições humanas e o duro retrato do submundo, dando destaque para a violência dos personagens, que vivem numa disputa constante pelo domínio do outro através da força e da humilhação.




“Vivemos, hoje, sob o jugo de um tempo cujos valores sustentam individualismos que, aliados a modelos econômicos, nos moldes do neoliberalismo, criam uma situação na qual a desesperança é a mola mestra. E são justamente os desassistidos sociais que mais sofrem com esta situação”, pontua o diretor Paulo Santana sobre o espetáculo.




O Quarto é um espetáculo para ser visto com os olhos atentos ao agora, pois diante de uma situação de calamidade e miséria, a cidadania é negada, especialmente aqueles que vivem em situação de subalternidade em nossa sociedade. Plínio Marcos permanece mais atual do que nunca.





SERVIÇO: Espetáculo O QUARTO, do Grupo de Teatro Palha

Encerramento da temporada virtual nos dias 23, 24 e 25 de julho. Sempre às 20 horas

Canal do Youtube do Grupo Palha


Texto: Leandro Oliveira (91) 98492-7371 (Assessoria de Imprensa)


122 visualizações

Posts recentes

Ver tudo