Gláfira lança o disco “Mar de Odoyá” no Teatro Gasômetro


Glafira - Imagem: A2 Ateliê

De caboclas da mata e da força de Iemanjá, Gláfira mostra ao público seu mais novo trabalho. “Mar de Odoyá” é uma ode à força do feminino. Num passeio sonoro que evoca ritmos de um Brasil profundo, a cantora e compositora traz o ijexá, a quadrilha, a toada, a cantiga. No dia 14 de novembro, Gláfira sobe ao palco do Teatro Gasômetro, em Belém, às 20h, para o show de lançamento do disco. Ingressos estão à venda online no Sympla.




“Mar de Odoyá”, uma saudação orixá à Iemanjá, é uma reverência a toda potência, mistério e empoderamento feminino. Neste segundo disco solo, Gláfira mergulha em sua origem marajoara; encontra a altivez e potência de Jurema, Herondina, Mariana e Jarina; o destemor e a ousadia de Tereza Navalha, mulher do mundo.




A artista paraense relata que o disco lhe veio como um “chamamento”. Gláfira conta que Odoyá e a história de Jurema lhe surgiram como um convite direto para que ela entrasse no universo místico e ancestral das crenças afrobrasileiras e caboclas para falar da força feminina. “Iemanjá é a grande mãe dos orixás; Jurema, a guerreira tupinambá que se tornou líder da tribo. Com esses dois arquétipos de imagens femininas muito fortes, outras músicas foram se construindo. Quando eu visualizei todo o disco, entendi que o que guiou este trabalho foi o empoderamento feminino, a nossa força, a nossa luta”.




Com mais de 20 anos de carreira, desde gigues em barzinhos até se tornar front woman do Álibi de Orfeu, uma das mais importantes bandas de rock da cidade, Gláfira se consolida como uma artista versátil e que vem amadurecendo sua trajetória solo. Após “Jardim Das Flores” (2011), marcado pela world music e pela música pop, Gláfira apresenta um segundo disco totalmente autoral e voltado para a sonoridade percussiva e minimalista do cancioneiro popular.



Glafira - Imagem: A2 Ateliê


“‘Mar de Odoya confirma não apenas o amadurecimento de Gláfira como artista, compositora, cantora, produtora, afirmado assertivamente na integridade autoral do álbum, que desemboca em canções personalíssimas, de arranjos acústicos, profundamente paraenses e brasileiros, sem resvalar em pastiches nativistas; para além, seu segundo álbum a entroniza reencantada, abençoada pelas muitas entidades femininas que referendam seu trabalho, e a coroam com a tiara prateada das espumas do mar”, diz Renato Torres, músico e produtor.



Serviço:

Show “Mar de Odoyá”, de Gláfira, dia 14 de novembro, às 20h, no Teatro Estação

Gasômetro, em Belém. Venda de ingressos pelo Sympla: http://twixar.me/vZnT


Texto: Assessoria de comunicação da artista

25 visualizações