Festival MANA abre inscrições para oficinas

#FestivalMANA


Divulgação.


O Festival MANA 2.0 está com inscrições abertas para oficinas online e gratuitas para mulheres que trabalham no mercado da música. São três temas que versam sobre a capacitação técnica e estímulo criativo desde a produção de lives, cuidados com o áudio, à introdução de bases para o desenvolvimento de projeções audiovisuais em shows. Metade das vagas são voltadas para mulheres da região amazônica. As demais estão abertas para outras regiões do Brasil e do mundo.




As oficinas começam dia 14 de dezembro. A primeira com o tema "Criação, produção e performance no Ableton Live", ministrada por Neila Kadhí (BA), cantora, compositora, multi-instrumentista e produtora musical, integrante da banda do musical Elza Soares. Serão três dias de aulas sobre criação, produção e performance. As aulas serão ministradas no software Ableton Live. Entre os tópicos da oficina, Neila faz um panorama sobre o software abordando suas principais funções; interface de áudio; controladoras MIDI; Plugins, além de sessões de escuta ativa.



Flora Guerra - Divulgação.


A segunda traz o tema "Som ok! Vídeo ok! Como fazer uma live em casa", com Flora Guerra (MG), que há mais de dez anos pesquisa e trabalha com operação de som ao vivo, gravação e finalização de áudio para shows e espetáculos. Flora atua na Oficina de Áudio para Mulheres da Música, e traz esta experiência para o MANA. O objetivo da oficina é contribuir para dar maior autonomia e independência às artistas e propiciar diálogos mais produtivos e eficientes com a equipe técnica de som. Serão debatidos conteúdos técnicos e práticos sobre o processo de produção de uma live: como colocar tudo para funcionar? São técnicas que irão mostrar as possibilidades de transmissão de áudio e vídeo, fundamentos de áudio, equipamentos, montagem, mixagem e níveis de masterização.



Lê Pantoja - Divulgação.


A terceira oficina aborda o tema "Vjing para Shows", com Lê Pantoja (RJ), uma das vjs pioneiras no Brasil, que já assinou visuais para artistas como Fernanda Abreu, Marina Lima e Anitta. Nos três dias de encontro do MANA 2.0, Lê vai compartilhar a construção da trajetória como artista e VJ; como se dá o processo criativo para a produção de um show; debater sobre linguagem do mapping, construção de uma time line e cores, texturas e palheta, e direção de arte. A oficina trata ainda, de forma introdutória, o workflow para começar a fazer VJ para shows. "No curso eu insisto muito nisso: de que forma você, enquanto artista, quer transformar o mundo? O artista provoca com o belo ou com o incômodo visual sentimentos para estimular a reflexão. O meio de VJ ainda é muito masculino. Então temos que fazer com coragem e excelência", diz Lê.



Programação

Festival Idealizado e produzido por mulheres, no MANA, o protagonismo é delas. De 12 a 19 de dezembro, a programação gratuita traz mais de 40 mulheres da Amazônia e de diversas regiões do Brasil no evento online, com shows, painéis de debate, oficinas, mostra de videoclipes e projeções mapeadas nos centros urbanos do Brasil. O MANA 2.0 é promovido pela 11:11 ARTE. O projeto tem patrocínio da Oi e apoio do Oi Futuro via Lei de Incentivo à Cultura Semear, do Governo do Estado do Pará e Fundação Cultural do Pará.



Nelia - Imagem: Sebastian Andrés.


O MANA surgiu em Belém em 2017, como uma proposta inédita de evento na Amazônia: ser um festival de música e feminismo, e promoveu encontros potentes. Este ano, o projeto homenageia Dona Onete, compositora e cantora que se tornou símbolo da cultura paraense e desponta internacionalmente como grande mestra do carimbó chamegado. A região Norte é destaque desta edição, que traz shows do primeiro grupo de carimbó formado por mulheres indígenas, o Suraras do Tapajós, da região de Alter do Chão; o tecnobrega de Keila; e o show de dois projetos musicais criados especialmente para o MANA: o "Chorinho das Manas", capitaneado pela multi-instrumentista Jade Guilhon; e "As Brabas do Norte", encontro das rappers paraenses Bruna BG e Nic Dias, prodígios da poesia do asfalto. O line-up traz ainda Tulipa Ruiz (SP) e MC Tha (SP), dois destaques na cena nacional, que apresenta shows em formato intimista.



Serviço:

Festival MANA 2.0 inscreve para oficinas www.festivalmana.com. Todas as

oficinas são voltadas apenas para mulheres e serão ministradas via plataforma

Zoom. Tudo gratuito.


Texto: Assesoria de Comunicação

100 visualizações

Posts recentes

Ver tudo