“Encontro das Águas” de Miguel Chikaoka segue em exposição na Casa das Onze Janelas

#EncontrosDasAguas


Equipe técnica da Secult durante a montagem da exposição ″Encontro das Águas″ - Imagem: Leandro Tocantins / Secult


Após três meses sem receber visitas em decorrência da pandemia de Covid-19, o Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, voltou a receber o público desde o dia 24 de julho, das 9 às 16 h, com a volta da Exposição "Encontro das Águas", na sala Gratuliano Bibas.




“Encontro das Águas” foi uma das primeiras mostras instaladas no Espaço Cultural logo que foi reaberto ao público, em outubro do ano passado. Ela traz 23 obras dos fotógrafos Miguel Chikaoka e Luiz Braga. De acordo com o curador da exposição e diretor do Sistema Integrado de Museus e Memoriais (SIMM), Armando Sobral, as obras retratam duas forças fotográficas locais distintas, que se completam como o encontro das águas comuns na região amazônica.




"Temos aqui duas grandes vertentes da fotografia brasileira. Quem visitar vai perceber que fizemos uma inversão de posições, pois o Luiz Braga se identificava com a cor e o Miguel Chikaoka com o preto e branco. Com o trabalho de leitura do acervo, me deparei justamente com obras que trazem essa troca. Isso mostra como esses fotógrafos são randes mestres, artistas que têm um conhecimento em profundidade sobre a linguagem fotográfica. Essa inversão marca o encontro dos rios que convergem para um único afluente que nos alimenta", explica Armando Sobral.



O encontro das obras de Miguel Chikaoka e Luiz Braga leva o público a uma viagem sobre o mágico universo da fotografia - Imagem: Leandro Tocantins / Secult jpg


Esperança - A exposição, cuidadosamente reinstalada pelos técnicos da Secult Nando Lima e Marcus Moreira, ganhou ainda mais destaque com a nova pintura que a sala recebeu. Segundo Nando Lima, fazer a reinstalação da mostra é mais do que voltar ao trabalho ativo; é um sinal de esperança de dias melhores. "Preparar o espaço novamente é mais do que voltar ao que se chama de 'novo normal', é mais do que só vir trabalhar. É sentir que há esperança e que somos muito mais que esse turbilhão que a pandemia trouxe. É muito bom retornar e fazer aquilo que se gosta", diz o coordenador de Curadoria e Montagem da Secult.




Para assegurar que servidores e visitantes dos museus do Estado retornem a esses espaços com o máximo de segurança, a Secult adotou medidas e protocolos, como sinalizações, uso obrigatório de máscara, disponibilização de álcool em gel e a visitação em grupo limitada à capacidade de cada local.



Serviço: Exposição Encontro das Águas. Aberta à visitação de terça a domingo, das 9 às

16 h, na sala Gratuliano Bibas, no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas – Praça Frei

Caetano Brandão, s/n, bairro Cidade Velha. Fone: (91) 4009-8686.

85 visualizações