Dia do Voluntariado: “Mãos que doam” e “Braço Forte, Mão Amiga”

Atualizado: 30 de Ago de 2019


Projeto braço forte, mão amiga - Imagem: Alan Alex

Diversos projetos recebem o apoio de pessoas que se comprometem em doar atenção, carinho e cuidado ao próximo. Conheça algumas delas em nossa reportagem especial em alusão ao Dia do Voluntariado comemorado na última quarta-feira (28 de agosto).






É comum em nossa sociedade, nos tempos atuais, pessoas sem tempo para absolutamente nada. Gente ocupada com o seu trabalho, com os seus estudos, projetos pessoais etc. Porém, ainda existem muitas que doam o seu tempo. Que dividem com quem precisa o seu conhecimento e amor. E existem diversos tipos de projetos que necessitam desses verdadeiros anjos da guarda: mulheres e homens dispostos a arregaçar as mangas e realizar várias ações em prol de pessoas carentes, marginalizadas e esquecidas pelo restante da população. Muitas vezes abandonadas até pelo próprio poder público.




Pessoas como a professora Érika Dantas, idealizadora e coordenadora do projeto social

“Mãos que doam” que já existe há quatro anos e atua na capital paraense. Composto em sua maior parte por mulheres, elas se reúnem uma vez por mês para cozinhar, e diga-se de passagem, preparam refeições da melhor qualidade, além de arrecadarem vestimentas, itens de higiene pessoal e calçados para entregar às pessoas em situação de rua. Acesse a rede social do projeto para saber um pouco mais https://www.facebook.com/maos.que.doam1/



Mãos que doam - Imagem: divulgação

“Desde o início deste projeto eu tenho vivenciado muitas experiências boas. Quando chegamos nas ruas e conversamos com essas pessoas, ouvindo os seus relatos, percebemos que o mais importante é chegar perto delas. Elas passam por muitas situações. Muita gente tem medo de se aproximar delas. Mas quando chegamos lá e damos carinho, atenção e cuidado, quem retorna com o coração cheio de esperança e coisas boas somos nós, integrantes desse projeto”. Atualmente o projeto conta com cerca de 50 pessoas que se dividem em equipes de arrecadação, entrega e preparo das refeições que são doadas.




Outro projeto que também atende, não só pessoas em situação de rua da Região Metropolitana de Belém, mas que também leva amor, momentos lúdicos e ações sociais para as comunidades carentes do interior do Pará, é o “Braço Forte, Mão Amiga”, idealizado pelo fotógrafo Alan Alex. “Um dos nossos grandes objetivos é despertar a caridade dentro das pessoas através das nossas ações. Nosso projeto já existe há sete anos e atualmente conta com os apoios dos Bombeiros Civis Voluntários do Pará e da empresa Dínamo. A ação de entrega de sopa e alimentos para pessoas em situação de rua existe há um ano e sete meses. É uma forma de nós nos encontrarmos todos os meses para fazer o bem, na capital paraense”, conta. O projeto possui cerca de 40 integrantes.




O ator e arte educador Husdon Andrade é outro exemplo de quem sempre exerce o voluntariado. Ele expressa o que é ser voluntário: “É o exercício mais efetivo da caridade, do amor ao próximo, por nos dispormos, não quando podemos, não quando queremos, não ‘quando der’, mas na prática regular e constante do auxílio de quem, num dado momento, se acha necessitado. Também é trabalhar no intuito de garantir direitos e retirar as pessoas da sua condição de vulnerabilidade”. Andrade já foi voluntário no setor oncológico infantil do Hospital Ophir Loyola, além de também ser voluntário na evangelização espírita, há mais de 20 anos, bem como já ministrou diversas oficinas de teatro de forma voluntária.



Texto: Vivianny Matos - Jornalista / Estante Cultural

90 visualizações