Dança em Trânsito 2021: Com formato híbrido, festival envolverá 25 cidades de Norte a Sul do país

#Dança

Verga - Imagem: divulgação.

Depois de apresentar uma edição cem por cento online – indicada ao Prêmio Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) na categoria Difusão –, o festival internacional de dança contemporânea Dança em Trânsito retorna às ruas e palcos do país, ao mesmo tempo em que incorpora a programação virtual, em um inédito formato híbrido. De norte a sul do Brasil, 25 cidades de dez estados estão envolvidas com residências, projetos formativos, mentorias e intercâmbios – iniciados virtualmente em março – e, presencialmente, de 6 de novembro a 19 de dezembro, com espetáculos de 27 companhias do Brasil, Alemanha, Canadá, Espanha, França, Israel, México, Reino Unido, Suíça e Uruguai, transmissões de vídeos, além de residências de criação e oficinas gratuitas.




“Adiamos de julho para novembro as atividades presenciais do festival em função do calendário de vacinação nacional. Mas iniciamos de forma remota, em março, uma série de ações online e gratuitas envolvendo artistas nacionais e internacionais, com aulas de dança; formação de professores multiplicadores; mentoria para criação de turmas em centros culturais longe das metrópoles e manutenção para profissionais da dança e artes cênicas”, explica Giselle Tápias, diretora artística e curadora do Dança em Trânsito.




“A fim de minimizar os riscos para toda a equipe, a curadoria artística levou em consideração o número de integrantes das companhias a serem convidadas, os perfis de espetáculos e performances adaptáveis aos ambientes externos, assim como os deslocamentos de cada companhia. Além disso, alguns artistas e companhias do exterior estão envolvidos de forma remota, seja à frente das aulas de formação online ou através dos trabalhos exibidos em vídeo durante o festival.





Espetáculos no Pará . O Dança em Trânsito passa por três cidades, com espetáculos em Belém (28/11) – no Oryba, na Ilha do Combú, às 10h30 o espetáculo Verga, do Camaleão Grupo de Dança (BR); às 11h, o Grupo Tápias (RJ), com Casa de Abelha, solo da coreógrafa e bailarina Flávia Tápias que aborda o universo feminino, a espera e a força da delicadeza, tendo como convidada uma cantora lírica; às 11h30, o mexicano Physical Momentum, que traz ao país e ao Combu, Postskriptum, falando das experiências de despedida. Na Praça da República, às 17h30, ocorre a apresentação de resultado da residência de criação de Clara da Costa (RJ); e às 18h, a companhia espanhola Iron Skulls Co (Barcelona), que mostra Sinestesia, onde a dança contemporânea encontra a acrobacia e o hip hop. O Teatro Experimental Waldemar Henrique recebe, às 19h, o Ateliê do Gesto, que apresenta O Crivo, inspirado na obra Primeiras Estórias, de Guimarães Rosa, os ingressos estarão disponíveis à R$10.




Em Canaã dos Carajás (30/11) - na Praça do Horizonte, às 19h, o espetáculo Verga, do

Camaleão Grupo de Dança (BR) está de volta à programação no Pará; às 19h30, a Cia Corpus Entre Mundos (BR) apresenta Muxima; às 20h, o mexicano Physical Momentum presenta novamente Postskriptum; às 20h15, tem Solo com Rami Levi, do Grupo Tápias; e, às 20h30, o resultado da residência de criação de Dilo Paulo e Lenna Siqueira (Brasília, DF), realizada com jovens de Canaã e Parauapebas.




Oficinas no Pará . Em Parauapebas (29/11), às 18h, será realizada uma oficina de dança ministrada pela coreógrafa Flávia Tápias, no Centro Cultural de Parauapebas. Em Belém (27/11), das 19h às 20h30, Moisés Moe, da Cia espanhola Iron Skulls faz oficina no Centro de Dança Ana Unger, ensinando sobre a evolução técnica da linguagem corporal do coletivo. As inscrições para todas as oficinas podem ser feitas no site do festival (www.dancaemtransito.com.br).



Casa de Abelhas - Imagem: divulgação.

Além das cidades paraenses, o festival passa por Mangaratiba (RJ), 6/11; Rio de Janeiro, 8 a14/11; Goiânia (GO), 15 e 16/11; Brasília (DF), 18 a 21/11; São Luís, 25 e 26/11; Belo Horizonte (MG), 3 e 4/12; Ipatinga (MG), 6/12; Coronel Fabriciano (MG), 7/12; Vitória (ES), 10/12; Vila Velha (ES), 11/12; Entre Rios do Sul (RS), 14/12; Alto Bela Vista (SC), 15/12; Florianópolis (SC), 17/12; Capivari de Baixo (SC), 18/12, e São Paulo (SP), 19/12.



DANÇA EM TRÂNSITO PROJETADO: DA TELINHA DO CELULAR AO TELÃO DO CINEMA




Uma das principais novidades em 2021 é o Dança em Trânsito Projetado, que marca o hibridismo do novo formato. Mesmo com a volta das apresentações presenciais, o festival incorpora de vez as transmissões nas plataformas digitais, além de incluir projeções em salas de cinema.




“A ideia do Dança em Trânsito Projetado é ampliar ainda mais o alcance e as possibilidades do festival. Dentro dessa proposta há cinco recortes, sendo os dois primeiros heranças diretas da nossa edição online de 2020: a transmissão de vídeos com os novos trabalhos de companhias estrangeiras que participam remotamente do festival e a exibição de coproduções da edição 2020, como a videodança Solos_On. As novidades ficam por conta da programação de filmes de dança de até 15min, produzidos no Brasil ou no exterior, inéditos ou não, que foram selecionados pela curadoria do festival a partir das inscrições recebidas após convocatória pública; assim como a transmissão em plataformas online de boa parte dos espetáculos apresentados presencialmente no festival. Com isso, além do público presente, internautas de qualquer lugar do mundo terão acesso às apresentações praticamente em tempo real. Por fim, veiculamos na internet resumos diários da programação do Dança em Trânsito”, detalha Giselle.





Serviço: DANÇA EM TRÂNSITO - 19ª edição

Período: De 6 de novembro a 19 de dezembro de 2021.

Pará: Dias 27 a 30 de novembro (Belém/Combu, Canaã dos Carajás e Parauapebas)

Programação completa e inscrições: www.dancaemtransito.com.br (Acesse o Instagram @dancaemtransito e Facebook)



Texto e informações: Lais Azevedo (91) 99940-9715 (Assessoria de Imprensa)


Palavras-Chaves



 
<