Culinaristas paraenses Úrsula Ferro e Patricia Lio ministram oficina gastronômica

#OficinaGastronômica

#CulinaristasParaenses


Divulgação.


Existe uma cultura gastronômica que surgiu na região conhecida como Paulistânia onde a simplicidade alimentar caipira se faz presente até hoje. Esse é o tema do projeto "Pirão Tropeiro: o encontro da culinária caipira com a cabocla” das culinaristas Paraenses Úrsula Ferro e Patricia Lio. De 07 de abril a 05 de maio, aulas on-lines gratuitas, vão ser oferecidas para os amantes da história da gastronomia brasileira através da plataforma Zoom. O projeto Pirão Tropeiro tem apoio da Lei Aldir Blanc na Cidade de São Paulo, da Secretaria Municipal de Cultura / Prefeitura Municipal de São Paulo e do Governo Federal.




O termo Paulistânia vem da região que corresponde ao leste de Minas Gerais até o Mato Grosso, de Jalapão, Tocantins e Goiás até Santa Catarina e parte do Rio Grande do Sul, passando pelo que é hoje o estado de São Paulo (na época Capitania de São Paulo criada em 1720). O encontro dos índios guaranis com os portugueses e a união dos hábitos dos dois grupos sociais resultou na culinária caipira. Milho, mandioca, o uso diversificado de hortaliças, tudo isso resultou em uma gastronomia original e de sabor ímpar.




O projeto “Pirão Tropeiro” foi criado a partir dos elementos da gastronomia sampa-amazônica. É sobre uma experiência que contempla a mistura de ingredientes, memórias e histórias de vivências alimentares amazônica e paulista. O projeto fala sobre a cultura como fruto da circulação dos homens, produtos, sabores, técnicas, dinâmicas e mudanças na sociedade. Um processo histórico-cultural que define modelos alimentares que não permanecem estáticos, por isso a importância da preservação e valorização dessas identidades.



Divulgação.


Amendoim, milho, banana, mandioca e feijão vão ser as estrelas do curso que inicia no dia 07 de abril. A cada semana um alimento vai ser o tema das oficinas. Durante as aulas, que vão ter duração de duas horas e meia cada, as ministrantes vão falar sobre a história dos alimentos, como esses alimentos são consumidos em diversas regiões do Brasil, tirar dúvidas dos participantes e apresentar diversas receitas.




As ministrantes são duas paraenses, comunicólogas de formação e culinaristas de paixão. O projeto “Pirão Tropeiro: o encontro da culinária caipira com a cabocla” quer, além de dar visibilidade para essas culturas alimentares, falar de sustentabilidade, diversidade e sabores. Versões de pratos criados a partir do universo que se apresenta nos dias de hoje, o que se pode escolher para se alimentar e que esteja em sintonia com as raízes, histórias, afetos, memórias e que converse com a possibilidade de gerar um menor impacto no prato do dia a dia dos brasileiros.



Culinaristas Úrsula Ferro e Patrícia Lio - Divulgação.


O curso é aberto para quaisquer pessoas interessadas em culinária, história dos alimentos, gastronomia vegana e cultura alimentar brasileira. As inscrições vão ser on-line através do preenchimento de um formulário disponível na bio nas redes sociais da @ayacomidas e @conversaverde (Instagram) e as oficinas, ao vivo, pela plataforma Zoom. TODO O CURSO VAI SER GRATUITO. Ao todo, cinco oficinas durante os meses de abril e maio (uma oficina a cada semana). Além das aulas pela internet, o participante também vai receber um e-book detalhado como material de apoio sobre o curso. Abaixo o calendário das aulas:



Programação

07 de abril: Amendoin / 14 de abril: Milho / 21 de Abril: Banana / 28 de abril:

Mandioca / 05 de Maio: Feijão


Texto: Assessoria de Comunicação

101 visualizações