Cláudio Barros apresenta “Leituras Dramáticas” no Núcleo de Conexões Na Figueredo

#LeituraDramática


Cláudio Barros - Imagem: divulgação.

O ator Claudio Barros volta em cartaz com a leitura dramatizada do conto Inútil Canto e Inútil Pranto pelos Anjos Caídos (que perderam os fundamentos), de Plinio Marcos. A apresentação estreou ano passado, no Teatro Waldemar Henrique, e agora poderá ser vista a partir do dia 31 de janeiro, no Núcleo de Conexões Na Figueredo, onde cumprirá temporada às quintas e sextas, sempre às 19h, até final de fevereiro. O ingresso é Pague quanto Puder.




O conto de Plinio Marcos faz parte de um livro de bolso, editado em 1977, com três contos em sua composição. Claudio interpreta o segundo conto, que trata da perda dos fundamentos do indígena brasileiro, expondo, numa narrativa poética, verdadeira e cruel, o histórico extermínio do povo da floresta.




Um velho índio começa a perceber o afastamento de sua aldeia da essência primordial dos fundamentos do seu povo. É obrigado a testemunhar a degeneração total de sua gente e de sua sua raça. Escrito durante a ditadura militar, há mais de 40 anos, a narrativa se apresenta, assustadoramente, atual.



Cláudio Barros - Imagem: Raul Farias.

A estrutura narrativa de Plínio transforma a palavra num mantra contundente, objetivo, ácido. A palavra, quase nota musical, é repetida, incansáveis vezes, construindo uma espécie de palavra-música, rítmica, ritualística.




Em 2018, Claudio leu, pela primeira vez, a versão original do conto de Plínio e nunca mais tirou da cabeça. “Depois que li esse conto, me senti no dever de compartilhar com outras pessoas”, fala Claudio.



Em agosto de 2019, enquanto viajava na Caravana Teatral Mambembarca, iniciou o processo de ensaios. Pela primeira vez experimentando a auto direção. Uma experiência totalmente nova para Claudio. Ensaiou sozinho, sempre em voz alta, até construir uma disciplina diária de treinos vocais com as palavras do conto. Em novembro e dezembro do mesmo ano, apresentou sua leitura dramatizada, duas noites no Teatro Waldemar Henrique.




A leitura dramática já é uma prática na trajetória de Claudio Barros. Certa vez, dentro do aquário do Museu Emilio Goeldi, ao lado da atriz Zê Charone, leu fragmentos de textos de Benedito Monteiro. Por duas vezes na Livraria da Travessa, no Rio de Janeiro, e no auditório do IPHAN, em Belém, fez a leitura do capítulo 55 (PONTO 55) do livro PETRÓLEO, de Pier Paolo Pasolini. Na livraria Saraiva, também em Belém, realizou a leitura do conto COPROMANCIA, do livro SECREÇÕES, EXCREÇÕES E DESATINOS, de Rubem Fonseca.



Serviço:

“Leituras Dramáticas” com Cláudio Barros

Data: 31 de janeiro e 01/05/06/13/14/20/21 de fevereiro/2020

Hora: 19h00

Local: Núcleo de Conexões Na Figueredo

(Av. Gentil Bittencourt,449 – Nazaré/Belém - (91) 9.8113-7600)

Ingresso: PAGUE QUANTO QUISER


Texto: Luciana Medeiros (HOLOFOTE VIRTUAL)

30 visualizações