Cláudia Cruz apresenta exposição “Paisagens Interiores” na Casa do Fauno


Imagens: Cláudia Cruz

No ultimo dia 07 de junho, a Casa do Fauno deu início a exposição “Paisagens

Interiores” da artista visual e poetisa Cláudia Cruz. O evento apresenta um conjunto de obras em pintura, da produção recente da artista, que tratam de um universo poético recorrente, ligado ao seu fascínio e amor pelo Cosmo, a Natureza em geral, seus seres

vivos, animais e plantas e às questões ecológicas de preservação desse ecossistema tão sensível e constantemente ameaçado.



Imagens: Cláudia Cruz

Cláudia produz recortes oníricos desse universo estonteante, partindo de uma percepção bem singular que traz desde a infância, que explodem em cores e formas expressionistas de sinuosidade e evidente equilíbrio cromático. “Tento contribuir com o planeta na sua preservação e também o desperdício de materiais que sujam, prejudicam o meio ambiente e ainda matam vários animais, quando jogados em rios e mares. Por esse motivo trabalho com material alternativo, preferencialmente papel, papelão, rolos de papelão prensado, plástico, madeira, etc.”, conta a artista.



Sua paleta vivaz, aliada a muita criatividade e técnica peculiar, resultam em um trabalho luminoso, vibrante como a natureza inspiradora, traçado por uma espiritualidade e pessoalidade sensível, que expande-se para o coletivo, na medida em que sua arte não só convida ao deleite, mas, apresenta a preocupação com o planeta, em um discurso imagético e poético.



“Comecei a pintar ainda menina, incentivada por meu pai. Cresci em meio à natureza e aprendi a amá-la e a respeitá-la. Sempre gostei da textura, trabalhos manuais e de inventar formas e paisagens, em vez de simplesmente copiá-las. Gosto de me sentir autodidata, mas cursei vários anos a universidade para aprender teoria e técnicas para melhorar a minha performance artística”, diz Cláudia Cruz.


De acordo com a artista suas imagens são registros claros de sua vivência em meio à

natureza, animais, peixes ornamentais. Elas demonstram também a convivência

constante com a poesia presente em minha vida. “Venho de uma família de escritores.

Meu avô foi historiador em nossa cidade, minha avó era poetisa e meu pai também. Já

participei de alguns grupos poéticos e a poesia está em constante movimento, imagens

do inconsciente, outras, inventadas”, completa.



Serviço: Exposição “Paisagens Interiores”

Período: De quinta a sábado (Até dia 24 de agosto) sempre a partir das 18h

Local: Casa do Fauno (Na Aristides Lobo, 1061, entre Benjamin e Rui Barbosa) Entrada

franca.


Texto e imagens: Cláudia Cruz

17 visualizações

Posts recentes

Ver tudo