Carolina Araújo quebra barreiras no samba em Live nesta terça-feira (14/09)

#CarolinaAraújo

#SambaLive

Imagem: divulgação.

Dorival Caymmi cantava "quem não gosta de samba, bom sujeito não é", o fato é que o samba é um dos ritmos mais populares da cultura e são poucos os brasileiros "que não são bons sujeitos", ou seja, não amam esse estilo musical. A cantora Carolina Araújo se

apaixonou tanto que fez a transição de uma carreira erudita para a popular. No dia 14 de setembro, às 20 horas, vai fazer uma Live com um repertório cheio de samba, no canal Pará Pai D'Égua no Youtube.




Carolina iniciou os estudos por meio da música erudita, no Conservatório Carlos Gomes, em Belém, atuando como cantora lírica em corais da cidade e no Festival de Ópera do Theatro da Paz. A transição ocorreu de maneira muito natural quando passou a apreciar a cena de cultura de Belém. Vivenciou a experiência social do Arraial do Pavulagem, da Orquestra de Choro do Pará, passou a frequentar a Casa do Gilson, a Taberna São Jorge e o Espaço Cultural Boiúna. Fez amigos, conheceu músicos, compositores, e as relações se estabeleceram. "Senti que meu lugar emocional e artístico era o samba", diz a apaixonada cantora.




Mas as rodas de samba ainda carregam muito preconceito com as mulheres que se arriscam neste "clube dos bolinhas". Há quem acredite que uma voz de roda de samba tenha que ser imponente, que haja repertórios mais adequados para os homens do que

para as mulheres. Mas em algum momento da vida, toda mulher entende que precisa quebrar paradigmas. E é o que a Carolina tem feito ao longo da carreira. Não se intimida.





Em 2017, participou do documentário “Casa do Gilson – Casa de amigos”, da TV Cultura, que festejou os 30 anos de dedicação do espaço ao choro e ao samba. Também apresentou o seu primeiro show solo, intitulado “Murmúrio da Cachoeira”, em que fez um recorte histórico de afrossambas, que contribuíram para a difusão e valorização da cultura dos terreiros. Em 2018, preparou o show “Maré virou pra mim”, em que apresentou parcerias inéditas do compositor Marcelo Ramos. Parte do repertório desse show compõe o álbum homônimo recentemente lançado pelo compositor, em que Carolina também participa como intérprete, ao lado de Karen Tavares e Olivar Barreto. Ainda em 2018, Carolina convidou Carla Cabral e Karen Tavares para homenagear as mulheres sambistas. A partir desse encontro, foi idealizado o show “Em cada canto uma esperança”, apresentado ao longo do ano e convertido em roda de samba semanal, que ocorreu até meados de 2019, antes da pandemia.




Ela ainda não retomou os shows presenciais. Tem realizado e participado de lives que estão disponíveis nas plataformas digitais e ainda neste mês vai ao ar, por um canal de tv aberto local, a participação no programa “Eu gosto de samba”. Agora está em fase de seleção de repertório para dar início à produção do meu primeiro EP e também pretende que esse projeto envolva o audiovisual. É hora de trabalhar!




Falando em Live se preparem: melodias de artistas como Dona Ivone Lara, Cartola, Wilson das Neves, Jovelina Pérola Negra, Zeca Pagodinho, Clara Nunes, Beth Carvalho, Leci Brandão, Toninho Geraes, Roque Ferreira, entre muitíssimos outros, são referências e vão estar no set list que a cantora vai apresentar.





SERVIÇO:

LIVE CAROLINA ARAÚJO CANTA SAMBA. DIA 14 DE SETEMBRO, TERÇA-FEIRA, ÀS 20

HORAS, PELO CANAL PARÁ PAI D'ÉGUA NO YOUTUBE. Acesse o Instagram

(@sou.carol) da cantora.



Texto: Nielson Bargas (91) 98903-4115 (Assessoria de Imprensa)

151 visualizações

Posts recentes

Ver tudo