Belém e Mosqueiro recebem Mestre Nenê (SP) e Grupo Vozes de Fulô

#RitmosAncestralidades


Mestre Nenê - Imagem: divulgação.

Com um rico legado cultural do encontro festivo entre os ritmos do carimbó, samba de cacete, lundum, boi-bumbá, coco, cirandas e cantos sagrados tradicionais, o grupo Vozes de Fulô, formado em 2014, parte desta identificação rítmica das raízes africanas, indígenas e caboclas para expressar sua música através do tambor. É dessa profusão de ritmos e ancestralidades que o grupo propõe uma programação extensa de atividades para celebrar o carnaval 2020

com muito batuque em conjunto com diversos parceiros da música e das ruas, de Belém e de São Paulo.




Vivência com Mestre Nenê Flor de Aroeira (SP)

Discípulo do saudoso Mestre Ananias, um dos mais importantes da cultura popular no país, Mestre Nenê Flor de Aroeira atua desde 1992 na cultura popular da capoeira, samba de roda, cantiga popular e confecção de instrumentos artesanais. Natural de Mato Grosso, atualmente reside em São Paulo e detém um extenso currículo como percussionista e arte educador.




Na sua estadia em Belém, o Mestre Nenê fará vivência sobre Tambor de Crioula, Samba de Roda e Capuera Angola em Mosqueiro entre os dias de 26 e 28 de fevereiro e no bairro da Cremação entre os dia 2 e 4 de Março, a ser realizada no Cras da Cremação e tem como o público alvo os frequentadores do centro. Para quem não for do bairro o valor simbólico de contribuição para vivência é R$ 40,00. Para inscrições é preciso entrar em contato com a produtora Maiara Almeida pelo telefone (91) 9 82398409, ligações ou whatssapp.




Cortejo Fulô de Aroeira – O cortejo tem concentração na Praça Dalcídio Jurandí, no bairro da Cremação, no dia 01 de março, e marca o aniversário do grupo Vozes de Fulô e o início da vivência com o Mestre Nenê no bairro da Cremação, encerrando a noite com roda de capoeira.




A programação dentro do cortejo é aberta à quem quiser tocar, performar, ou apenas desfilar ao som de muito batuque pelas ruas de Belém. E já conta com alguns artistas, grupos de carimbó e performances como: Cidade Tambor, SaTivxs do Mangue, Tamuatás do Tucunduba, Falsos do Carimbó, Canto Caboclo, Leandro Haick, Sarita Themonia, Carlos Vera Cruz e Ruth Costa.


Grupo Vozes de Fulô - Imagem: divulgação.

Histórico do Vozes de Fulô

A formação do grupo Vozes de Fulô se deu de maneira orgânica a partir das vivências nas esquinas das ruas de Belém onde pulsa a resistente vida cultural da cidade. Constituído de modo independente, o grupo vem desenvolvendo ações sociais com diversos coletivos e grupos alternativos e periféricos da capital paraense. Por meio da experimentação artística que proporciona um diálogo a partir da música, onde a voz e a percussão norteiam o trabalho experimental do Vozes de Fulô, promovendo uma costura com as linguagens artísticas como: poesia, performance e dança. Dessa forma, buscando parcerias que fortalecem e disseminam a cultura local e das regiões ribeirinhas. “Acreditamos que o tambor é uma linguagem ancestral, cuja a sua existência se apresenta como uma ferramenta de grande força de comunicação, contribuindo para a preservação da identidade ancestral deste ser amazônida.” afirma o grupo.



SERVIÇO

Cortejo de Carnaval - Flor de Aroeira

Domingo - 01 de março - Cortejo na Cremação com a presença do Mestre Nenê que

abre as vivências na Cremação, a partir das 16h na Praça Dalcidio Jurandir.

Vivência com Mestre Nenê

Dias 26, 27,28 de fevereiro em Mosqueiro - Porto Arthur - Pass. N. Sra. do Ó n: 18.

2, 3, 4 de março - Vivência no CRAS da Cremação, Av. Alcindo Cacela, 2993 próximo

à Praça Dalcidio Jurandir.


Texto: Na Cuia Produtora Cultural

22 visualizações