Banda Acorde de Novo lança música sobre as vítimas do Covid-19

#Música

Imagem: divulgação.


A música "Não sou um numeral", que foi lançada no último dia 10 de dezembro, pela banda paraense Acorde de Novo, destaca o luto e as ausências agora existentes ao mesmo tempo na vida de milhares de famílias ao redor do mundo.O coronavírus, que já levou a óbito mais de 616 mil pessoas só no Brasil, também leva embora sonhos, risadas e lembranças, todas com nome e sobrenome.




"O número de mortes, que aumenta diariamente, não consegue representar o sentimento de luto e sofrimento que impactam a vida de milhares de famílias, e essa ausência de sensibilidade se explicita quando tratamos as perdas apenas como números", explica Arthur Brito, vocalista e compositor da música.





O lançamento ocorre nas principais plataformas de streaming, como o Spotify, Deezer, Apple music. Já o clipe foi disponibilizado no dia 14 de dezembro, no canal do youtube da banda e redes sociais. No atual momento da pandemia, milhares de pessoas ainda não compareceram para se imunizar com as vacinas disponíveis. No início de dezembro, o governo do Pará anunciou diversas medidas de incentivo à vacinação, já que cerca de 400 mil doses podem perder a validade, devido a baixa procura.




"Por isso a música também é uma crítica, a todos que induzem as pessoas a não usarem máscaras, a não tomarem vacinas, a se medicarem com remédios cientificamente ineficazes, ou seja, a não se cuidarem", diz.




No meio da música, especificamente no momento do solo de guitarra, há uma homenagem à diversos artistas que faleceram devido às complicações do vírus. Nesse momento os integrantes da banda listam, ao fundo, nomes de artistas brasileiros como Paulo Gustavo (humorista), Paulo César Santos (vocalista da banda Roupa Nova), Agnaldo Timóteo (cantor e compositor) e Deisy Lúcidi (Atriz e radialista).




A banda, formada por Arthur Brito no vocal principal e guitarra solo, Gabriel Pinheiro na

bateria, Samuel Zadoque no Baixo e Felipe Pinheiro na guitarra rítmica se reuniu à distância e depois gravou um ep., com três músicas, duas delas sobre a pandemia.




"Temos mais de 600 mil motivos, só no Brasil, para falar sobre o luto na pandemia. É algo sobre o qual precisamos falar, não para relembrar todos os sentimentos ruins das perdas, pelo contrário, para homenagearmos as pessoas queridas que se foram, relembrando boas memórias. Ao mesmo tempo é importante termos em mente que muitas vidas não foram salva em consequência da insensatez de líderes e grupos sociais", diz Arthur Brito.





A gravação ocorreu no Legacy Studio, com a produção, mixagem e masterização de Ivan

Jangoux. Em Janeiro será lançada a última música do EP e seu respectivo videoclipe, que

trará também temática relacionada à pandemia da Covid-19.




Sobre a Acorde de Novo


A banda surgiu em 2013, com uma proposta de unir diferentes ritmos ao Rock Alternativo, desde ritmos regionais como o Carimbó e Brega, até ritmos como a Salsa e o Blues. Logo em 2014, lançam o single "País do futebol", que faz uma crítica à situação social do Brasil em meio a uma copa do mundo.Nos anos seguintes lançaram "Gaiola", em 2017, e "Monocromática", em 2018, músicas que vinham compor o primeiro álbum, lançado em 2019, O álbum "Paradoxal", que contém 9 músicas, mescla ritmos diversos, blues, musica circense, brega, carimbó, hard rock, rock alternativo, pop e possui letras que falam de amor, liberdade e que fazem críticas à intolerância política brasileira.




Ainda em 2019 lançaram o EP "Acorde na chuva", uma parceria entre as bandas Acorde de novo e Chuva das três, contendo a música "dialética indígena", que fala sobre a luta indígena, a defesa de seus territórios e cultura. Recentemente lançaram o single "anônimos" nas plataformas de streaming e seu videoclipe no Youtube.





Siga a Rede social da Banda Acorde de Novo (@acordedenovo)



Texto: Vanessa Monteiro (91) 98867-6569 (Assessoria de Imprensa)



Palavras-Chaves