Arte e debate sobre saúde mental marcam o Dia da Visibilidade Trans

Atualizado: Jan 30

#VisibilidadeTrans


Livro Tentativas de Aniquilamento de Subjetividades LGBTIS - Imagem Divulgação

Nesta quinta (30), às 19h, será lançado em Belém o livro “Tentativas de aniquilamento de subjetividades LGBTIs”. Organizado pelo Conselho Federal de Psicologia, a publicação traz relatos de pessoas que foram submetidas a tratamentos de “cura gay” – prática não reconhecida pelo Código de Ética Profissional da Psicologia no Brasil. O evento será no prédio do Conselho Regional de Psicologia do Pará e Amapá, localizado na avenida Generalíssimo Deodoro, 511. O lançamento integra a programação em alusão ao Dia da Visibilidade Trans, celebrado em 29 de janeiro no Brasil.


Colhidos entre pacientes de diversas cidades do país, os depoimentos retratam o intenso sofrimento psicológico desencadeado pelo preconceito e potencializado pela atuação de profissionais da saúde mental que se amparam no fundamentalismo religioso para patologizar a sexualidade – um comportamento marcado pela falta de ética e que pode culminar em consequências devastadoras já que reafirma, no meio terapêutico, a exclusão e a opressão que costuma assolar pessoas lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexuais (LGBTIs).


“Há relatos, por exemplo, de adolescentes de 14, 15 anos, em Belém, estudantes de colégios religiosos, que passaram por sessões com o terapeuta da escola e escutaram que ‘tinham que parar de ser gay, lésbica, que aquilo era errado e era pecado’. Em outras cidades, há depoimentos de meninas lésbicas que ouviam até de professores que a violência sexual poderia ‘dar um jeito’ nelas”, conta Jureuda Duarte Guerra, presidente do Conselho Regional de Psicologia.


As histórias de violência psíquica contra a população LGBTIs, para a especialista, não raro desencadeiam quadros de depressão, pânico, abuso de drogas, tentativas de suicídio, evasão escolar e abandono familiar. “O profissional da saúde e da educação precisa estar comprometido com o combate ao preconceito, e ser aliado na luta por direitos das pessoas LGBTIs, desde a garantia da cidadania, políticas públicas e cuidados especializados. Não podemos abrir espaço para o obscurantismo que condena e persegue a sexualidade. Não há embasamento científico que ampare qualquer tentativa de ‘cura gay’”, destaca Duarte Guerra.


A proposta do livro surgiu após a tentativa de um grupo de psicólogos que tentou invalidar a resolução CFP nº 01/99, que determina que não cabe a profissionais da Psicologia o oferecimento de qualquer tipo de prática de reversão sexual. No último dia 20 de janeiro, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o arquivamento da ação, e manteve proibida no Brasil qualquer prática de “cura gay”, visto que a Justiça reconhece que orientação sexual não é doença ou desvio.


No lançamento da publicação em Belém, participam da mesa de debate, além do Conselho Regional de Psicologia, a Delegacia de Combate a Crimes Discriminatórios e Homofóbicos, a Coordenadoria de Proteção à Livre Orientação Sexual (Clos), e a Ordem dos Advogados Seção Pará (OAB-PA).

Arte e resistência

Além do livro, a programação conta ainda com a performance da atriz trans Isabella Valentina, que apresenta a performance autoral “Transbella: Uma cartografia poética de um corpo em transformação".


Foto: Danielle Cascaes

A performance é resultado do projeto de pesquisa da atriz na conclusão do curso de licenciatura em teatro e técnico em figurino cênico, pela Escola de Teatro e Dança da Universidade Federal do Pará (ETDUFPA). A partir de teóricos como Judith Butler, Gilles Deleuze e Félix Guattari, Isabella alinhava a narrativa que condensa sua vivência e se conecta à existência política da comunidade trans.


Entre os destaques da nova safra de artistas do Pará, Isabella já participou de peças como “Quem me leva aos meus fantasmas?”, “Casa das Madalenas”, “Os fuzis” e “Zeca de uma cesta só”. A performance “Transbella” traz o auxílio de direção das professoras Iara Regina e Larissa Latif, e concepção de cena de Vandiléia Foro.


Serviço

Lançamento do livro “Tentativas de aniquilamento de subjetividades LGBTIs”, às 19h, e perfomance "Transbella: Uma cartografia poética de um corpo em transformação, ás 19h30, nesta quinta-feira (30), às 19h30, no auditório do Conselho Regional de Psicologia do Pará e Amapá, localizado na Avenida Generalíssimo Deodoro, 511, entre Antônio Barreto e Domingos Marreiros, bairro Umarizal. A entrada é franca.



Texto: Assessoria de Comunicação

43 visualizações