A cantora Débora Vasconcelos faz live com composições que marcaram o cenário musical paraense

#DéboraVasconcelos


Imagem: divulgação.

Cultura salva! Essa frase curta foi dita por milhares de brasileiros que ficaram confinados durante o lockdown na pandemia. Através da música, o medo deu vez para momentos de alegria. Vários artistas "aprenderam" a fazer lives para não ficar parados. Foi o caso da baiana, radicada em Belém, Débora Vasconcelos. Enquanto não vem a segunda dose, a cantora que não está cantando em bares ainda, promete uma live com muito swing e músicas autorais para o dia 10 de agosto, às 20 horas, pelo youtube no canal Pará Pai D'Égua.




Débora Vasconcelos já tem uma agenda para retomar os shows ao vivo em Setembro. A

mudança na rotina começou, claro, desde a pandemia. Ela costumava cantar no mínimo quatro vezes nos bares da cidade e com o fechamento veio um também um impacto financeiro na vida da artista. Aproveitou essa parada obrigatória para compor músicas novas, brincar com novos ritmos, misturando o que a Bahia e Pará têm de melhor. Já está com um novo trabalho onde vai mostrar mais o lado autoral dela. "Já estava com tudo engatilhado pra fazer um EP e veio a pandemia. Assim que estiver imunizada entro no estúdio para gravação. Tempos difíceis mas que estamos superando pouco a pouco" diz esperançosa a cantora.




Esse otimisto não é a toa. Débora nasceu em Eunápolis na Bahia mas leva Belém do Pará no coração onde ela reside e vivencia a arte musical ao longo dos últimos 15 anos de carreira. Tem muito orgulho de ser nordestina. Traz no repertório muitas coisas de lá, fazendo um encontro com as batidas da música paraense que ama. "Terra do meu coração onde comecei a compor minhas canções gravadas por artistas maravilhosos que conheci aqui", diz Débora sobre os parceiros paraenses.





E falando neles, não são poucos: Danniel Lima, Lia Sophia, Alba Maria, Gigi Futado, Juliana Sinimbu, Renato Torres, João da Hora, Joelma Klaudia, Iara Mê, dentre outros. Débora Vasconcelos marca sua trajetória por cantar com a alma e encontrou por meio da composição de músicas uma forma de transpor todo esse sentimento. Dentre estas composições estão as músicas Boca, Ninho e Amor Impossível gravadas pela cantora Lia Sophia em seu primeiro álbum “Livre” lançado em 2005. Além de Lia Sophia, o cantor e compositor paraense Daniel Lima também gravou “Lençóis de Cetim” composição de Débora Vasconcelos lançada na plataforma do YouTube em 2015, música que ficou em primeiro lugar por semanas nos rádios paraenses. Débora também teve a honra de gravar como intérprete no CD do grande cantor e percussionista Mapyu, a música “Olhos de Rapina”, no álbum “Mandalas Naturais - Tocar II”.




Sobre a Live do dia 10, ela adianta que "Vem cheia de batidas gostosas do Pará e da Bahia. Música boa pra mexer com o coração de todos. Vou cantar minhas músicas já gravadas por Lia Sophia , Daniel Lima...". Além da Live, vem novidades para este ano como gravações de músicas em estúdio. Depois, é escolher a canção para trabalhar em seguida o clipe. "Quero trazer na fotográfica cenas de Belém e de Salvador" diz a cantora que completa: "Vem coisa boa por aí". Enquanto isso, quem estiver com saudades da artista vai poder conferir a Live, às 20 horas, pelo canal Pará Pai

D'Égua no Youtube.





SERVIÇO: Live Musical Débora Vasconcelos

Dia: 10/08/2021 (Terça-feira) Hora: 20 horas

Local: Canal Pará Pai D'Égua no Youtube


Texto: Nielson Bargas (91) 989034115 (Assessoria de Imprensa)

88 visualizações