Últimos dias para ver a exposição sobre o Balé Folclórico da Amazônia

#BaléFolclóricoDaAmazônia


Balé Folclórico da Amazônia - Imagem: Ascom Secult.

A Estação Cultural de Icoaraci, novo reduto da cultura e da arte em Belém, está com uma nova exposição, aberta ao público desde o dia 18 de setembro (sexta-feira). A mostra “Bfam, 30 anos dançando tradições amazônicas” conta a trajetória de três décadas de uma das principais organizações artísticas de difusão da cultura amazônica, o Balé Folclórico da Amazônia – Brasil (Bfam). Essa é a segunda exposição que o espaço recebe desde que foi aberto pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado

de Cultura (Secult).




O Balé Folclórico da Amazônia foi fundado em setembro de 1990, no Distrito de Icoaraci, e se tornou um dos principais grupos responsáveis pela ampla divulgação das manifestações da cultura e do folclore amazônico para o Brasil e o mundo.




De acordo com o professor, pesquisador e fundador do Bfam, Eduardo Pereira, quase 60 itens, entre fotografias, figurinos e painéis, compõem o acervo da exposição, que narra a história dos artistas, produções, apresentações e turnês internacionais. A exposição será aberta com a apresentação do espetáculo “Dançares Amazônicos”. O espetáculo será reduzido, assim como o número de participantes, em respeito aos protocolos de prevenção à Covid-19.



Estação Cultural de Icoaraci - Imagem: Secult / Ascom


Resgate - “Vamos celebrar uma história de sucesso dos 30 anos do Bfam e dos cerca de 400 artistas que já passaram pelo grupo ao longo desses 30 anos. Nossa exposição faz um recorte das grandes histórias e dos melhores momentos. A apresentação, apesar de reduzida, traz releituras de danças tradicionais e composições coreográficas, inspiradas em temas da cultura amazônica, são lendas amazônicas, mitos e etc”, disse.




Segundo o diretor da Estação Cultural de Icoaraci, Stefanni Henrique, desde que foi aberto, o espaço vem movimentando o cenário cultural e econômico na Vila Sorriso. Ele também afirma que as exposições dos empreendedores locais de economia criativa movimentaram R$ 13.459 neste primeiro mês de funcionamento.




“Iniciamos um novo ciclo aqui na Estação e esperamos que ele seja tão bom quanto o primeiro. Além da exposição do Balé Folclórico, que foi fundado por artistas de Icoaraci, o espaço vai dar oportunidade para outros empreendedores da economia criativa da Vila Sorriso, como desenhistas, escritores e expositores de gastronomia. Ao longo deste mês, o espaço tem sido bastante visitado e já se tornou uma referência para os moradores de Icoaraci”.




Serviço: Exposição Bfam, 30 anos dançando tradições amazônicas. Período: 18 a 30 de

setembro, de terça a quinta-feira, das 10h às 18h, e de sexta a domingo, das 9h às 21h.

Entrada gratuita - Estação Cultural de Icoaraci (R. Padre Júlio Maria, 937-995 –

Cruzeiro, Icoaraci).


Texto e fonte: Josie Soeiro (SECULT) / AGÊNCIA PARÁ.

81 visualizações