Álbum "Feroz" da banda Móbile Lunar segue disponível nas plataformas digitais

#MóbileLunar

#ÁlbumFeroz

Imagem: Karina Paes / Divulgação.

Misturando um som vintage, muito influenciado pelos mineiros do Clube da Esquina e pelo Rock Progressivo da década de 70, ao moderno som de bandas da cena autoral paraense, a Móbile Lunar se prepara para lançar seu primeiro álbum. Feroz chegou às principais plataformas digitais no começo dos mês (04 de agosto) com dez músicas autorais, que falam de criação do Universo às mazelas da sociedade moderna sempre com o olhar de quem vive na Amazônia.




"A Móbile Lunar sempre quis gravar um álbum que remetesse às nossas influências como a música da década de 1970, principalmente a Música Popular Brasileira dessa época que é muito rica para nós da banda. Depois de registrar o EP Frida, chegamos à conclusão que era possível realizar esse sonho de mesclar tanto o passado quanto a música contemporânea e acho que conseguimos nos sair muito bem com o álbum Feroz", avalia o guitarrista e vocalista Alê Brandão.




Totalmente independente, o álbum foi gravado em 2018 e 2019 no Rio de Janeiro e emBelém, mas a pandemia do novo Coronavírus adiou o lançamento, que estava programado para abril do ano passado, quando a banda lançou o single de "Feroz" que dá nome ao álbum e já estava com turnê fechada pelo nordeste (Salvador, Aracajú, Maceió e Recife). Após meses de instabilidade por conta da pandemia, no final de 2020, a banda gravou o segundo longa-metragem e, com o produto pronto, decidiu reprogramar o lançamento para agosto de 2021.





“Feroz é um álbum muito aguardado. Ele resume letras fortes, melodias simples e complexas e toda a potência amazônica. A Móbile Lunar consegue ser progressiva e pop, sem parecer forçado. As melodias brotam como que naturais na música e embargam a voz quando cantadas as letras", avalia o baterista Igor Gomide.



Filme – Uma viagem pela paisagem poética, visual e sonora da Amazônia onírica, surreal e concreta que inspirou a Móbile Lunar a compor o seu álbum de estreia. Assim é o documentário musical "Móbile Lunar - Sonhos", que tem roteiro de Laércio Esteves e André Moska, integrantes da banda. O segundo longa-metragem da Móbile apresenta uma banda consolidada, mais madura, com mais elementos audiovisuais e mostrando suas referências amazônicas. O filme traz performance ao vivo, do álbum, gravado no Teatro do Sesi no final de 2020, além de misturar imagens produzidas especialmente para o filme, cenas de arquivos pessoais, já outras foram captadas por pessoas que acompanham a trajetória da Móbile e que registraram suas casas em período de lockdown.



O filme será lançado no dia 11 de setembro e completa a programação de lançamento de Feroz, álbum de estreia da banda Móbile Lunar.



Sobre a Móbile Lunar – Formada em 2016, a Móbile Lunar é formada por André Moska (vocalista e violonista), Alê Brandão (vocalista e guitarrista), Igor Gomide (baterista), Laércio Esteves (guitarrista) e Leonardo Vitor (baixista). A banda apresenta um repertório de músicas autorais e cantadas em português, com composições e os arranjos fortemente influenciados pela música brasileira, pelo rock progressivo dos anos 1970 e pela nova safra de bandas paraenses.



Serviço: Álbum Feroz da banda paraense Móbile Lunar. Principais plataformas de

streaming de música. Informações: @mobilelunar.


Texto: Sonia Ferro (91) 98026-1595 (Lambada Produções)

132 visualizações